Novo maquinário possibilitará reforma dos equipamentos antigos da Prefeitura de Brusque

Segundo diretor de Obras, muitas máquinas estão operando, mas precisam de conserto

Novo maquinário possibilitará reforma dos equipamentos antigos da Prefeitura de Brusque

Segundo diretor de Obras, muitas máquinas estão operando, mas precisam de conserto

A última reportagem da série que trata da aquisição de novo maquinário pela prefeitura aborda o impacto na oficina da Secretaria de Obras e nas terceirizadas. É um dos setores mais afetados diretamente, já que tem de lidar com os problemas de uma frota já envelhecida.

A série de matérias aborda o impacto para a população com a compra de R$ 4,99 milhões em maquinário para o setor de obras. O empréstimo para a aquisição foi aprovado pela Câmara de Vereadores.

No caso da oficina, o principal benefício para o cidadão brusquense será a economia para os cofres públicos, de acordo com Nik Imhof, diretor-geral da Secretaria de Obras. Ele comenta que muitas máquinas em operação são antigas.

“A compra vai dar uma boa alavancada na questão de conseguir parar os equipamentos antigos e dar o suporte que precisam, tem equipamentos que quase todos os dias temos que arrumar alguma coisa”, diz o diretor.

Com máquinas novas, as antigas poderão ser encostadas, para que recebam o conserto mais apropriado. Hoje, isso nem sempre é possível por causa da demanda muito grande de serviço.

“Não conseguimos parar para consertar. Tem equipamento que tem que parar e deixar um tempo parado”, afirma Imhof.

Segundo o diretor-geral, a expectativa é conseguir reduzir, pelo menos, um pouco o ritmo de trabalho da mecânica.  “Hoje um dos maiores problemas é não ter sido feita a manutenção com o passar dos anos. Tem veículo aqui que passou dos 10 mil km e não foi trocado o óleo. Outros equipamentos tinham rodado mais de mil horas e não tinha sido feita manutenção”.

Economia
O diretor da oficina da prefeitura, Adamo Yuri Zimmermann, explica que além da mecânica própria a prefeitura tem terceirizadas para veículos leves, pesados e máquinas.

Inicialmente, tenta-se resolver o problema internamente, mas nem sempre isso é possível. Algumas peças e equipamentos só existem nas oficinas contratadas.

Ainda que seja uma necessidade, evitar as terceirizadas é um fator ressaltado por Zimmermann devido à burocracia. Hoje, para um carro ser consertado demora até uma semana para a realização de orçamentos e envio da ordem de serviço por parte da prefeitura.

Se o reparo é feito dentro da própria oficina, é mais rápido e o veículo já pode voltar ao trabalho. Com tempo, a probabilidade de dar conta na própria mecânica é maior.

Zimmermmann também ressalta que a demanda de serviços é crescente. “Vai colaborar bastante porque nossa frota é de 2009, e em 2013 teve aquisição só de dois caminhões toco. A frota está deficiente por causa do crescimento da cidade, são quase dez anos que a cidade cresceu muito, por isso precisamos de mais máquinas para dar conta da demanda de serviços”, afirma o diretor da oficina.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio