Novo shopping de Brusque terá parque de neve

Sacs Consult, que administra o empreendimento, prevê início das obras para setembro deste ano

Novo shopping de Brusque terá parque de neve

Sacs Consult, que administra o empreendimento, prevê início das obras para setembro deste ano

O sócio-diretor da Sacs Consult, consultoria responsável pela implantação do novo shopping em Brusque, Sérgio Manzalli, confirmou nesta semana que o empreendimento deverá ter sua obra iniciada em setembro deste ano, com previsão de ficar pronto em setembro de 2018.
Ele anunciou também que o shopping terá, em anexo, um parque de neve, atração que oferecerá a possibilidade da prática do esqui aos brusquenses.

“Estamos guardando a sete chaves, é um parque que vocês nunca viram na vida. É um negocio fabuloso, sensacional, já estivemos no local, já vimos preço, tudo”, afirma Manzalli, que adiantou também a intenção de que o empreendimento tenha um teleférico, a exemplo do parque Zoobotânico.

A negociação em relação ao terreno do shopping, localizado em frente ao local onde era o Big, que pertence à comunidade Luterana, foi fechada meses atrás. Agora, o foco é aprovar as licenças junto à prefeitura e iniciar a comercialização de espaços.

Nesta semana, os projetos foram protocolados na prefeitura, para aprovação. Assim que todas as autorizações foram dadas, a obra começa, daí a previsão para setembro. Na obra, segundo Manzalli, espera-se a geração de 600 a 700 empregos.

Conforme o representante da Sacs Consult, o shopping será inaugurado em 2018 por causa da situação política e econômica do país. “A gente imagina que em 2018 a coisa começa a acontecer diferente, que a economia do país seja totalmente diferente, independente do que está acontecendo hoje”.

Além disso, ele acrescenta que 2018 é o melhor momento para iniciar as atividades. “Porque de qualquer maneira está mudando a gestão do Brasil, e sempre quando existe uma mudança de gestão a economia cresce, a bolsa cresce, o dólar cai, 2018 é a marca para dar uma virada”.


Comercializados 32% dos espaços para franquias 

Até o momento, cerca de 32% dos espaços destinados a franquia estão comercializados, informa Manzalli, além das lojas âncora. Já estão fechados, conforme informou, as Casas Bahia, que poderá mudar do Centro para lá – ou não, a Riachuello, as lojas Renner e a Magazine Luiza.

Sérgio Manzalli, ao Centro, esteve em Brusque ontem para reunir-se com representantes da Imobiliária Moresco, que irá comercializar os espaços / Marcelo Reis
Sérgio Manzalli, ao Centro, esteve em Brusque ontem para reunir-se com representantes da Imobiliária Moresco, que irá comercializar os espaços / Marcelo Reis

Há, ainda, negociações avançadas com um cinema. A partir de agora, quem vai comercializar os espaços, em parceria com uma empresa de São Paulo, é a Imobiliária Moresco; ambos serão responsáveis por mediar as relações entre lojistas, empreendedores e o shopping.

Em 15 a 20 dias essas negociações iniciarão, com a divulgação oficial. “Vamos dividir talvez 60% de franquias e 40% lojas da cidade, ou 70% a 30%. Vai depender do mercado no momento, mas é muito importante o prestígio que a gente vai dar aos empresários locais, vão ser os primeiros a serem consultados”, afirma Manzalli.

Ao todo, o empreendimento deverá ter 150 lojas. Atualmente, a Sacs Consult cuida da implantação de 18 shoppings em todo o país.


Estudos há três anos

Sérgio Manzalli afirma que há três anos se estuda a possibilidade de implantar um shopping em Brusque. Inicialmente, uma pesquisa mercadológica mostrou que a cidade tinha potencial para receber o empreendimento, sobretudo em virtude do alto índice de desenvolvimento humano (IDH) e renda per capita.

Posteriormente, as lojas âncora solicitaram uma pesquisa quantitativa, para saber a adesão que a ideia do shopping teria frente à população. Os resultados foram animadores: 91% da população, conforme a pesquisa, disse que teria interesse no empreendimento.

Manzalli destaca que um dos principais objetivos do parque é trazer exclusividade. “A gente conversou com um vereador da cidade, que falou está faltando um shopping porque é muito comum ir num casamento e ter cinco mulheres com o mesmo vestido, porque compra em série. O shopping center dificilmente vai ter a mesma roupa, no atacado não”.


Proposta de plano social

Os empreendedores do shopping pretendem implantar na cidade um plano social, que visa atuar principalmente na geração de emprego. Atualmente, a previsão é criar 1,2 mil vagas diretas para trabalhar nas lojas e na administração do empreendimento.

Também há proposta de criação de uma cooperativa, e contratação de pessoas com mais de 50 anos, para aproveitar a mão de obra com bastante experiência.

Além disso, há previsão de um programa específico para quem quer o primeiro emprego, com treinamento da mão de obra.


Brusque shopping center

Investimento: R$ 110 milhões
Previsão de início da obra: setembro de 2016
Prazo de entrega: 24 meses
Empregos diretos: 1,2 mil
Empregos na obra: 600 a 700
Número de lojas: 150

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio