Adiado por 90 dias o uso obrigatório do novo extintor; em Brusque, eles estão em falta

Com aumento na procura pelo modelo ABC estabelecimentos de Brusque têm dificuldade em atender a demanda

Adiado por 90 dias o uso obrigatório do novo extintor; em Brusque, eles estão em falta

Com aumento na procura pelo modelo ABC estabelecimentos de Brusque têm dificuldade em atender a demanda

O corre-corre nas lojas à procura de extintores do tipo ABC tem sido grande nas últimas semanas. Isso porque uma lei do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determinava que, desde o dia 1º de janeiro, os veículos só podem circular equipados com esse tipo de aparelho. No entanto, na noite desta segunda-feira, 5, o Denatran adiou em 90 dias o uso obrigatório. Um dos motivos é a falta do produto em alguns estabelecimentos, inclusive em Brusque.

Segundo João César Guerreiro, proprietário da Brusfogo, localizada no bairro Bateas, o estoque do extintor de incêndio com carga de pó ABC terminou na manhã de ontem. “Por causa da grande saída que tivemos nas últimas duas semanas, acabou faltando o produto. Mas já fizemos novos pedidos e os novos equipamentos devem chegar até amanhã”, revela.

A situação se repete na loja Boni Baum, no Centro, que não tem mais extintores deste modelo em estoque. Eles só voltarão às prateleiras do estabelecimento em março. A Do Vale Extintores, no bairro São Luiz, tinha até a tarde de ontem os últimos extintores ABC. “Temos somente cinco aparelhos, se acabar só teremos novamente no fim deste mês”, explica a vendedora Regina Alves.

Um dos poucos lugares que ainda tem uma boa quantidade do produto é a Auto Peças Maestri, no Centro, que possui 30 extintores e deve receber mais amanhã. De acordo com o vendedor, Alex Arnold, a saída do aparelho aumentou bastante no último mês, porém, a loja conseguiu manter um bom estoque do aparelho.

Desde 2005, todos os carros saem de fábrica com esse tipo com extintores de incêndio do tipo ABC, que tem a validade de cinco anos, e desde o dia 1º de janeiro a utilização dele passou a ser obrigatória em todos os veículos do país.

Quem descumprir a determinação deve pagar uma multa de R$ 127,69, perde cinco pontos na CNH do proprietário do veículo, além de uma medida administrativa e retenção do veículo para regularização. Em todas as lojas pesquisadas na cidade, o produto custa R$ 60.

Veículos que saíram de fábrica antes de 2005, vinham com o extintor BC, com validade de um ano. Até ano passado, ele ainda existia no mercado para reposição, mas acabou saindo de circulação. De acordo com o Corpo de Bombeiros, essa nova regra deve ajudar a proteger o motorista em diversos casos de incêndio veicular.

Os extintores de pó BC são conhecidos por não ter condutividade elétrica podendo ser empregado na extinção de incêndio de equipamentos elétricos e energizados (classe C) e também por liquido inflamável (classe B). A categoria A protege o condutor em caso de incêndio em materiais sólidos, como o estofado do carro, por exemplo.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio