Mais de 5,5 mil pessoas receberam seguro-desemprego em Brusque neste ano

Número de 2016 é semelhante ao de 2015, segundo o Sine

Mais de 5,5 mil pessoas receberam seguro-desemprego em Brusque neste ano

Número de 2016 é semelhante ao de 2015, segundo o Sine

O Sistema Nacional do Emprego (Sine) de Brusque preencheu 5.584 requerimentos de seguros-desemprego de janeiro a julho deste ano. O número é praticamente igual ao registrado no mesmo período do ano passado: 5.587.

Em 2016, o pico de preenchimentos ocorreu em março, com 1.009 seguros. Em 2015, por outro lado, o pico foi em julho, com 1.010. Quanto ao menor número de seguros concedidos pelo órgão, o mês de janeiro se destacou, em ambos os anos – 632 em 2016 e 643 em 2015.

Para o agente administrativo do Sine, Claudinei Benvenutti, o motivo para manutenção no número de requerimentos está atrelado ao fechamento de empresas grandes e também de terceiros turnos.

“Nesses dois anos não aumentou e nem diminuiu porque empresas grandes, como a Buettner, fecharam. Mas não fecharam todas de uma vez. E também alguns terceiros turnos de grandes empresas foram sendo cancelados. Então foi tudo gradativo. Por isso não teve tanta diferença”, argumenta.

Segundo Benvenutti, atualmente, o Sine preenche cerca de 50 seguros-desemprego por dia. Em dias mais movimentados, o órgão chega a fazer até 110.

2014

Em comparação a 2014, o número de seguros-desemprego concedidos aumentou 11.8%, segundo os dados do Sine. Naquele ano, de janeiro a julho, foram preenchidos 4.992 documentos.

As crises econômica e política, de acordo com Benvenutti, foram as influenciadoras para o aumento nos últimos dois anos comparados a 2014.

“Até a metade de 2014 estava tudo ok, mas depois começou a degringolar. Aqui, começou a aumentar os seguros e também a diminuir as vagas de emprego”, afirma.

Vagas

Atualmente, enquanto o número de preenchimento de seguros-desemprego é alto, o número de vagas de empregos disponíveis à população é baixo. De acordo com o agente administrativo, há 14 vagas hoje.

Ele acrescenta que a queda ocorreu no decorrer dos meses. Até metade de 2015, o órgão disponibilizava cerca de 150 vagas.

“Todas as vagas que temos disponíveis hoje pedem experiência, dificilmente uma pessoa que está entrando agora no mercado de trabalho e não tem experiência comprovada ou declarada conseguirá o emprego. O mercado atual está assim”, diz.


SEGURO

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio