O que o Brusque fez em 2019 é prova definitiva de que merece mais investimento

O que o Brusque fez em 2019 é prova definitiva de que merece mais investimento

João Vítor Roberge

O Brusque arrancou um título do Marcílio Dias jogando a final da Copa SC com extrema dificuldade. Talvez o rival merecesse mesmo mais pela campanha e pelo que foi a final, mas futebol é jogado, e final se vence. Do jeito que as coisas andam no estado, o clube pode mirar alto no Catarinense 2020 se tiver o respaldo necessário. É hora de as grandes empresas e de o torcedor se engajarem de vez e ainda mais na causa de alçar voos altos para o Marreco. Se não agora, quando? Do contrário, pode ser que a pedra seque e que de lá não saia mais leite. Seria triste Brusque perder tamanho clube e tamanho momento por mera falta de apoio e interesse de quem detém, de fato, poder e capital. Vale a pena apostar.

Desesperador

O Brusque tem dois meses para trocar a grama do Augusto Bauer, instalar sistema automatizado de irrigação e acertar os ponteiros com o Carlos Renaux no quesito manutenção. A reunião que o quadricolor teria na quinta-feira, 21, com a Havan, foi cancelada pela patrocinadora. Não há praticamente nada definido. A prefeitura agiu como pôde, e quer deixar o terreno pronto para receber novo gramado. O Campeonato Catarinense começa em 22 de janeiro e a situação já pode ser chamada de desesperadora.

Exemplo

O valente Juventus, de Jaraguá do Sul, que subiu à elite após desistência do Almirante Barroso, está anos-luz à frente do Brusque. Ação com a contribuição direta de torcedores, aliadas aos patrocinadores, viabilizaram as obras do estádio João Marcatto. O clube ainda nem tem todo o dinheiro para o término do trabalho, mas foi para o tudo ou nada. O Brusque, clube de Série C, campeão nacional, segue travado, engessado, extremamente dependente da Havan. Um projeto bem feito com empresas e torcedores por aqui já teria sido grande passo.

Foto: Rafael Voitina/Arquivo O Município

Três títulos num ano

Em 7 de dezembro de 2008, o Brusque conquistou a Recopa Sul-Brasileira, torneio que possuía sedes fixas, teve quatro edições entre 2007 e 2010 e era disputado entre os vencedores das copas dos estados do Sul e de São Paulo. Na ocasião, o quadricolor comemorou seu terceiro título do ano, após ter faturado Série B do Catarinense e Copa Santa Catarina. Naquele domingo, o gol de Rafael Bittencourt deu a vitória sobre o Atlético Sorocaba (SP). Quer compartilhar uma memória do esporte? Envie um e-mail com descrição da imagem e assunto “Memória do Esporte” para joao@omunicipio.com.br

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo