Oi e Procon entram em acordo

Empresa tem prazo máximo de 20 dias para solucionar os problemas dos consumidores

Oi e Procon entram em acordo

Empresa tem prazo máximo de 20 dias para solucionar os problemas dos consumidores

O Procon de Santa Catarina e a Oi/Brasil Telecom entraram em acordo após reunião realizada na quarta-feira, 9, em Florianópolis. Participaram da negociação representantes dos órgãos de proteção e defesa do consumidor de Brusque, Blumenau, Itajaí, Indaial e São José e da empresa de telecomunicação.

Durante a reunião, ficou definido que a empresa terá 20 dias para solucionar os problemas referentes às reclamações de consumidores sobre a má prestação dos serviços que levaram os Procons a suspenderem a venda dos produtos da Oi por cinco dias em todo o estado. “Nas 85 cidades de Santa Catarina que contam com o Procon, a Oi terá o prazo máximo de 20 dias para resolver os problemas. As 210 cidades que não têm o Procon terão seus problemas resolvidos em, no máximo, 90 dias”, afirma o diretor geral do Procon de Brusque, Luis Carlos Schlindwein.
Se esses prazos não forem cumpridos, cada Procon deverá impor sanções à empresa. “Cada Procon municipal será responsável por impor a sua medida. Esperamos que os prazos sejam cumpridos e que o consumidor não tenha mais incômodos”.

Além de estipularem prazos, os Procons exigiram que a empresa entregue a relação das suas lojas em todo o estado. “Essa foi uma das dificuldades do Procon quando precisamos cumprir aquela medida cautelar, por isso, será importante saber exatamente quantas lojas da empresa temos em cada município e onde elas ficam”.
Outra exigência do órgão durante a negociação foi o demonstrativo de que a medida cautelar foi cumprida pelas lojas da empresa. “Eles serão obrigados a publicar no site deles os termos desse acordo e também nos provar de que não houve vendas durante o período em que foi suspensa a comercialização dos produtos”.

Ainda durante a reunião, o Procon apresentou à empresa um levantamento realizado por 42 órgãos do estado com o volume de reclamações. “São 700 reclamações em aberto em todo o estado. É uma demanda grande para ser cumprida em um curto espaço de tempo, a maioria por problemas de instalação e manutenção de linhas telefônicas”.
Para Schlindwein, a união dos Procons foi fundamental para que a empresa apresentasse soluções para o problema. “Essa ação conjunta surtiu um efeito imediato. Tivemos um grande quórum na reunião, a empresa mandou os responsáveis por cada área que está com problemas e nos mostrou vontade de mudar e resolver o problema”.

Apesar do acordo, Schlindwein afirma que o Procon continua aberto para receber mais reclamações contra a empresa. “Quem está com problemas e ainda não fez a reclamação é importante que venha até o Procon e faça. Essas reclamações é que vão servir de parâmetro para que outras medidas sejam tomadas e que o problema se resolva o mais rápido possível”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio