Ordem de serviço do projeto de duplicação da rodovia Ivo Silveira é assinada

O serviço, de aproximadamente R$ 2 milhões, já teve início com os trabalhos de medição e topografia

Ordem de serviço do projeto de duplicação da rodovia Ivo Silveira é assinada

O serviço, de aproximadamente R$ 2 milhões, já teve início com os trabalhos de medição e topografia

A duplicação da rodovia Ivo Silveira (SC-108), que liga Brusque e Gaspar, está mais perto de virar realidade. Na quinta-feira, 8, foi assinada a ordem de serviço para a elaboração do projeto da obra.

O vice-prefeito Ari Vequi (MDB) participou do ato, que contou também com a presença do prefeito do município vizinho, Kléber Wan-Dall (MDB), do presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Paulo Gouvêa (MDB), e do secretário de Estado de Infraestrutura, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro (MDB).

Segundo Vequi, a duplicação compreende o trecho que vai desde a rotatória do Steffen até a entrada do Centro de Gaspar. São aproximadamente 17 quilômetros. Como o projeto ainda será elaborado, não há detalhes quanto a passarelas, elevados e outras obras no entorno.

O vice-prefeito informa que o Deinfra pretende terminar a elaboração do projeto até o fim deste ano. Vequi explica que somente a confecção tem custo estimado de R$ 2 milhões. Esse dinheiro é financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), na sexta fase do programa.

“É recurso do BID 6 para a inclusão no BID 7”, afirma o vice-prefeito de Brusque. Depois de pronto, o projeto será enviado ao governo federal e ao BID para avaliação. No entanto, Vequi está confiante de que não haverá problemas.

“Não temos dúvidas quanto à aprovação porque é um projeto de desenvolvimento, que é o que o banco quer”, diz o vice-prefeito.

Próximos passos
Embora a assinatura da ordem de serviço seja mais um passo em direção à duplicação, as máquinas devem demorar a começar a trabalhar. Segundo Vequi, a previsão é que a duplicação inicie em “três ou quatro anos”.

Depois do projeto pronto, serão realizadas audiências públicas em Gaspar e Brusque. “É o momento para reivindicar, para não acontecer como na Antônio Heil, no Limoeiro, na Sodepan”, diz Vequi. Também serão realizadas reuniões mensais para evitar erros.

Municipalização descartada
De acordo com Vequi, o Deinfra chegou a oferecer à prefeitura a municipalização de um trecho da Ivo Silveira. Essa era a ideia do ex-prefeito Paulo Eccel. Mas a administração não aceitou porque entende que não é sua competência fazer a duplicação de uma rodovia.

“Não aceitamos porque não temos capacidade, senão viraria igual a Antônio Heil”, diz o vice. Ele se refere à parte da Antônio Heil que é municipal e não está nem perto de ser duplicada porque o projeto é complexo e muito caro.

No mês passado, O Município havia noticiado que a duplicação estava prevista para começar ainda neste ano. Contudo, a assessoria do Deinfra entrou em contato e comunicou que os prazos antes repassados pelo órgão oficial estavam errados. Agora, sob a presidência de Paulo Gouvêa, ficou claro qual é o andamento do processo.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio