Conteúdo exclusivo para assinantes

Pacientes sofrem com falta de medicamentos para aliviar dores na coluna

De acordo com a Secretaria de Saúde, o Tramadol está em falta em todo o país

Pacientes sofrem com falta de medicamentos para aliviar dores na coluna

De acordo com a Secretaria de Saúde, o Tramadol está em falta em todo o país

Pacientes que têm problemas na coluna, sofrem com fortes dores e precisam do Tramadol para aliviar os sintomas estão desde semana passada enfrentando a falta do medicamento.

O remédio que combate dores fortes – sua eficiência está um nível abaixo do efeito da morfina -, segundo o secretário de Saúde de Brusque, Humberto Fornari, está em falta em todo o país. “Este remédio não se acha nem em farmácias particulares porque está faltando a fórmula original. Nenhum dos fornecedores tem o remédio, então não temos o que fazer”, diz.

Na fila para cirurgia de coluna pelo Sistema Único de Saúde (SUS), um morador de Brusque precisa de nove caixas por mês do medicamento que custa R$ 22 nas farmácias particulares para aliviar as fortes dores que sente até que chegue sua vez para a cirurgia.

“Não há similar na rede. É tão longa a espera pela cirurgia que em alguns momentos nem o Tramadol tira a dor, mas agora sem o remédio, a situação está ainda pior. Dor e angústia, sem saber quando isso terá fim”.

Além do Tramadol, Fornari afirma que também está em falta o Bromazepam, medicamento indicado para o alívio dos sintomas associados à síndrome de ansiedade. “Este está na mesma situação do Tramadol. Semana passada tentamos fazer a reposição, mas não deu”.

O secretário diz ainda que o Alprazolam, também utilizado para distúrbios de ansiedade, que estava em falta, já voltou para o estoque da Secretaria de Saúde e está disponível na farmácia básica.

Falta de soro
Na semana passada, a Secretaria de Saúde também enfrentou a falta de materiais, como soro, luvas, papéis e copos descartáveis. De acordo com o secretário, a demanda faltante de soro já foi reposta e foi ocasionada também por problemas com fornecedores.

Na semana passada, uma paciente entrou em contato com O Município informando que os atendimentos odontológicos novos foram suspensos devido à falta do material. Fornari, entretanto, diz que não recebeu nenhum relatório de cancelamentos por conta deste problema.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio