A rua Nicolau Schaefer, no bairro Imigrantes, fica bastante movimentada no período de Natal – afinal, é lá que mora o Pelznickel, o Papai Noel do mato de Guabiruba. Mas não é só isso que faz com que a rua se torne uma atração: a época natalina é, também, quando os moradores da cidade, por tradição, enfeitam suas casas e deixam as noites mais iluminadas com os pisca-piscas coloridos.

É nesta mesma rua que mora a família de Ulisses Silva Rocha, um dos vencedores do concurso Natal Iluminado (Weihnachtslichter), organizado anualmente pela Associação Visite Guabiruba (Avigua). Todo ano, a casa dele recebe enfeites e decorações temáticas de Natal e, neste ano, em sua segunda participação no concurso, foi premiado.

“Fiquei bem feliz quando me ligaram da Avigua”, conta Ulisses. “Gostamos muito de fazer a decoração principalmente por causa das crianças.”

Além disso, por morarem na mesma rua do Pelznickel, o local, de fato, é bastante movimentado. A sogra de Ulisses, Irene Siegel, diz que essa é uma das motivações para continuar fazendo a decoração, já que é uma rua por onde passam muitas pessoas, tanto moradores de Guabiruba quanto turistas.

“É uma tradição aqui de Guabiruba, ter a casa enfeitada no Natal. É uma época linda, fica muito bonito e as crianças adoram”, contam. O plano é continuar fazendo a decoração nos próximos anos e, quem sabe, participar novamente do concurso.

Irene, Marli, Patricia e Ulisses ajudam na decoração natalina da casa | Natália Huf

Enfeites personalizados
Além de toda a iluminação que decora o exterior da casa, Ulisses montou enfeites personalizados: as bolas natalinas que estão penduradas na sacada, no andar de cima, foram feitas por ele.

Para criar essas peças de decoração, ele dedicou uma tarde de trabalho para grampear inúmeros copinhos de plástico. Dentro da estrutura, foram colocados pisca-piscas coloridos. “Tirei a ideia do YouTube, vi um vídeo e fui reproduzindo”, explica ele.

Ele conta que, ainda no ano passado, comprou um projetor de LED que, infelizmente, não teve o efeito que ele desejava. “Aí, quis fazer algo que fosse diferente, e acabou saindo até mais barato. Devo ter gasto em média uns R$ 15 para cada uma delas e, em um dia, já fiz tudo.”

A sogra Irene diz que adorou a ideia dos enfeites, que deixaram a casa mais destacada e diferente. “Hoje, projetor já se vê em muita casa por aí. Dessas, ninguém tem igual”, resume Ulisses.

Bolas natalinas foram feitas com copos plásticos | Natália Huf

Você está lendo: Para morador do Imigrantes, iluminação natalina é tradição de Guabiruba


Veja outros conteúdos do especial:

– Introdução
– Papais Noéis relembram os pedidos mais inusitados e emocionantes que receberam das crianças
– Artesanato é uma alternativa para a decoração natalina
– Morador de São João Batista faz a alegria do Natal e leva Papai Noel para as crianças da cidade
– Funcionários da Havan fazem campanha solidária na Limeira Baixa
– Com peças que já tinham e produtos reciclados, casal fez a decoração natalina de casa
– Paróquias luteranas de Brusque organizam Café do Advento para angariar fundos para comunidade em São João Batista
– Loja de Brusque inova e utiliza bicicleta antiga na decoração natalina
– Moradora do Aymoré se surpreende ao saber que foi uma das vencedoras do concurso Natal Iluminado
– No Lageado Baixo, casa recebeu decoração natalina antes da mudança dos moradores
– Há 20 anos, Paulo Demarche abre as portas para visitação ao seu presépio

Deixe uma resposta