Parto inusitado acontece no corredor do Hospital Azambuja

O pequeno Samuel da Luz nasceu na noite de quarta-feira, 20, a caminho para a sala de cirurgia do Hospital Azambuja

Parto inusitado acontece no corredor do Hospital Azambuja

O pequeno Samuel da Luz nasceu na noite de quarta-feira, 20, a caminho para a sala de cirurgia do Hospital Azambuja

O pequeno Samuel estava previsto para vir ao mundo somente na segunda-feira, 25, mas a pressa de nascer foi tanta que ele resolveu antecipar sua chegada, e na noite de quarta-feira, 20, surpreendeu a todos ao nascer no corredor do Hospital Azambuja, a poucos metros da sala de cirurgia.

O parto inusitado foi realizado por três integrantes do Corpo de Bombeiros de Brusque, que levaram a mãe, Greice Cristina Cabral da Luz, 22 anos, ao hospital. O pedido de ajuda aconteceu pouco antes das 20h, e Samuel nasceu às 20h11.

O menino é o segundo filho de Greice, que se surpreendeu com a forma rápida do nascimento do bebê. “Eu estava esperando que ele nasceria antes da data prevista, porque era para ser prematuro e eu tomei medicação para poder segurá-lo, mas também não achei que seria tão rápido”, diz.

A bolsa de Greice estourou às 6h da manhã de quarta-feira, e por recomendação médica, a vendedora ficou em casa até começar a sentir dores. “Quando eu comecei a sentir dores fortes, eu já percebi que ele estava vindo. Então eu falei com o meu marido, e pedi para ligar para o Corpo de Bombeiros porque vi que não daria tempo de pegar o carro e chegar até o hospital, ele poderia nascer no meio do caminho”, conta.

A mãe lembra que a ajuda dos bombeiros chegou rápido – em torno de cinco minutos – e quando os soldados viram a situação, rapidamente a colocaram na maca e seguiram para o hospital. “Tentei segurar até chegar ao hospital, mas na segunda dor forte que eu tive eu senti ele vindo, aí já imaginei que eu ganharia ele na porta do hospital”, diz a mãe.
“Foi maravilhoso”

A soldado Patrícia Garcia foi uma das responsáveis pelo parto de Greice. Esta foi a primeira vez que toda a equipe que atendeu a ocorrência – soldado José Eduardo Coelho e ADC Guilherme Barbosa – realizou um parto.

“Recebemos a ligação de uma gestante em trabalho de parto. É comum este tipo de solicitação, mas quando chegamos ao local, normalmente, ainda dá tempo de chegar ao hospital. Desta vez foi diferente, ela estava com contrações em intervalos de menos de dois minutos, então rapidamente colocamos na maca, mas sabíamos que podíamos ter de parar a qualquer momento no meio do caminho para efetuar o parto”, destaca soldado Garcia.

Eles conseguiram chegar até o hospital, no entanto, Samuel veio antes de Greice conseguir entrar na sala de parto. “A maternidade fica no segundo piso do hospital. Chegamos lá, e não tinha ninguém que pudesse ajudar. Eu fui buscar ajuda, enquanto os outros dois soldados ficaram com ela, de repente eles me chamaram porque não dava mais para segurar, ela estava em cima da maca e a cabeça do bebê já estava aparecendo. Nós três tivemos que fazer o parto”, lembra.

Soldado Patrícia afirma que tudo correu bem no parto. “Eu tinha muito medo de pegar ocorrência deste tipo, porque se o bebê não está bem encaixado, até chegar ao hospital pode gerar complicações, mas neste caso ocorreu tudo bem, ele estava prontinho para nascer. Foi tudo muito tranquilo”.

Integrante do Corpo de Bombeiros há quase quatro anos, Patrícia afirma que este foi o momento mais especial de sua carreira. “Foi um momento maravilhoso. Lidamos com tanta coisa ruim, tantos óbitos diariamente, e poder ajudar a trazer uma criança ao mundo foi mais do que especial. Assim que ele nasceu fiquei com ele nos braços enrolado num lençol até que a equipe do hospital pudesse chegar para dar prosseguimento, nunca vou esquecer deste momento”, ressalta.

Samuel nasceu com 2,2 kg e passa bem. É um bebê tranquilo e aprecia um bom sono. Mãe e filho devem ter alta do hospital ainda hoje.

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio