Pedófilo é condenado a 117 anos de prisão

Marcos Alexandre de Lima foi preso em abril do ano passado em sua casa, no bairro Rio Branco

Pedófilo é condenado a 117 anos de prisão

Marcos Alexandre de Lima foi preso em abril do ano passado em sua casa, no bairro Rio Branco

Marcos Alexandre de Lima, de 35 anos, foi condenado a 117 anos de prisão no dia 29 de julho por crimes envolvendo pedofilia e estupro, uma das maiores penas aplicadas para esse tipo de crime no estado.

Ele foi preso em casa, no bairro Rio Branco, no dia 23 de abril de 2014, depois de uma investigação da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú. O acusado mantinha perfis falsos no Facebook, aliciava adolescentes pela rede social, chantageava as vítimas com imagens pornográficas e depois as estuprava.

Segundo informações da 2ª Promotoria de Justiça de Itajaí, ele foi condenado por violação sexual mediante fraude, estupro de vulnerável e por armazenar imagens pornográficas de crianças e adolescentes. Ele vai cumprir a pena em regime fechado, na penitenciária da Canhanduba, em Itajaí. Na época dos fatos, após a prisão do acusado, novas denúncias surgiram de que outras garotas haviam sido vítimas dele, porém, como o caso segue em segredo de Justiça, não foi possível ter informações sobre o número de pessoas afetadas e a idade delas.

As investigações duraram cerca de três semanas e foram comandadas pelo delegado Osnei Valdir de Oliveira, da DIC de Balneário Camboriú. Eles receberam a denúncia da mãe de uma adolescente, que suspeitou das atitudes de sua filha e, depois de insistir, a garota confessou que havia sido chantageada por Lima e obrigada a fazer sexo com ele.

No momento da prisão, o delegado afirmou à reportagem do jornal Município Dia a Dia que havia a suspeita de pelo menos 12 vítimas, todas elas com idade entre 13 a 15 anos. O suspeito criava perfis falsos na rede social Facebook, geralmente de mulheres, iniciava um contato com as adolescentes e gravava pela webcam imagens comprometedoras. A partir daí, chantageava as vítimas, fazendo elas se exibirem na webcam para coletar ainda mais imagens. Depois, ele exigia se encontrar com elas, caso contrário, divulgaria as imagens na internet, e era nesses encontros que ele estuprava as vítimas.

Segundo Oliveira, um dos estupros aconteceu dentro de um carro utilizado pelo acusado, que na época foi apreendido para perícia. Lima é natural de Cascavel, no Paraná, mas morava com a esposa e a filha no bairro Rio Branco. Por causa da sua forma de agir, ele ficou conhecido como Pedófilo do Facebook.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio