Em um puxadinho amarelo nos fundos de uma casa no bairro Poço Fundo está a sede da loja Maria Carolina Clothing. Ali, a empreendedora Tuani Gelatti Lopes, 23 anos, cria e costura as peças da loja e as envia para cidades de todo o país.

A marca, que tem apenas três anos, virou a queridinha de muitas brusquenses e, há pouco tempo, também ultrapassou os limites da cidade e conquistou o coração de mulheres do Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia com a loja online.

Tudo começou por acaso. Tuani, então com 20 anos, fazia o curso técnico de moda no Senai e, sem dinheiro para comprar as roupas que gostaria, decidiu colocar os conhecimentos adquiridos em sala de aula em prática e criar seus próprios modelos.

A estudante começou a fazer saias e blusinhas para ela utilizando as máquinas de costura da mãe, que trabalhava com facção para uma camisaria de Brusque. Os looks exclusivos de Tuani começaram a chamar a atenção das amigas. Todas queriam saber onde ela comprava as roupas e aí ela viu uma oportunidade.

“Comecei a fazer saias diferentes, postava no Facebook e vendia por R$ 20. Começaram a aparecer muitas encomendas e eu comecei a ganhar um dinheirinho. Chegou uma época que eu quase não dava conta, então decidi me dedicar mais a isso”.

De segunda a sexta-feira, Tuani ajudava a mãe na facção e aos fins de semana fazia suas criações. Ao longo do tempo, ela foi desenvolvendo outras peças e como estava próximo do Natal, conseguiu vender tudo. A partir daí, a marca ganhou nome – Maria Carolina – em homenagem às duas avós – e ela percebeu que poderia viver da marca.

“As pessoas me pediam muita coisa por encomenda, o público começou a aumentar muito e eu não dava mais conta”.

Com a permissão do pai, Tuani utilizava a sala de sua casa, aos sábados, para abrir a loja, que nesta altura, já tinha um público fiel. “Comprei minha primeira arara, trouxe algumas coisas de decoração da casa do meu avô e todo sábado tirava os móveis da sala para atender as clientes. No primeiro sábado, vendi quase todo o estoque”.

Além de abrir a loja aos sábados, Tuani levava as encomendas para as clientes durante toda a semana, em qualquer horário. Com o crescimento, já teve que deixar de ajudar a mãe na facção para cuidar de seu próprio negócio.

Com o passar do tempo, a sala de casa já não era suficiente. O negócio estava crescendo cada vez mais. A empreendedora reformou uma das salas do galpão para dar mais espaço para a MC Clothing e ampliar suas vendas e em 8 de agosto de 2015, Tuani inaugurou o primeiro espaço oficial de sua marca.

A partir dali, a dedicação passou a ser exclusiva e, como já não dava conta de produzir tantas peças, passou a contar também com produtos de fornecedores de outras cidades de Santa Catarina para ampliar o estoque e dar mais opções às suas clientes.


Peças exclusivas e afinadas às tendências

Desde o início, a MC Clothing sempre trabalhou com peças exclusivas. A inspiração de Tuani, que até hoje é quem cria e costura a maior parte das peças, são as principais blogueiras do país.

Pelas redes sociais, principalmente pelo Instagram, ela acompanha o que as influenciadoras digitais estão usando e adapta as principais tendências.

“Acompanho muita coisa de moda no Instagram, é dali que tiro a inspiração para fazer as peças. Se vejo um modelo diferente, pesquiso se as lojas de Brusque já têm e assim consigo sempre trazer novidades”.

As peças dentro das principais tendências de moda e o preço acessível são o grande segredo do sucesso da MC Clothing. Desde o começo, os preços praticados na loja sempre atraíram as clientes, o que foi fundamental para garantir a fidelidade, ainda mais em uma época de crise econômica. “Eu cobro o que considero justo pela peça e as clientes apreciam muito isso”.

A facilidade das redes sociais, além de possibilitar que Tuani fique antenada no mundo da moda, também contribuiu muito para o sucesso da marca fora de Brusque. Hoje, a loja conta com mais de 10 mil seguidoras no perfil do Instagram, e mais de 11,5 mil na página do Facebook. Diariamente, as redes sociais da marca são atualizadas com as novidades, o que garante novos clientes sempre.

Atenta a esse novo jeito de fazer negócio, a jovem empreendedora conseguiu ter a internet como aliada e, dia a dia, conquista clientes em todo o país. “Sempre usei muito as redes sociais para divulgar as novidades da loja. Comecei a fazer sorteios pelo Instagram e fui ficando conhecida. Muitas meninas de outros estados pediam para eu mandar os produtos e eu decidi criar o site para profissionalizar”.

O site oficial da marca foi criado no começo deste ano. Lá estão grande parte das peças disponíveis na loja física e as clientes podem fazer a compra online.

Enquanto conversava com a reportagem, Tuani exibia, orgulhosa, a pilha de produtos já separados e embalados que, mais tarde, seriam levados aos Correios com destino a várias cidades do país. “Todo dia registro compras pelo site. Fico muito feliz em ver que o que começou pequeno, aos poucos, está crescendo”.


Vestidos de Frida também são sucesso da marca

Além da modinha feminina, a MC Clothing viu oportunidade na confecção de trajes típicos de Frida para as festas de outubro. A ideia também surgiu por acaso. Com a Festa Nacional do Marreco, a Fenarreco, chegando, Tuani decidiu modificar o traje simples que tinha em casa. Ela postou o resultado nas redes sociais e logo as encomendas começaram a chegar.
Naquele ano, foram feitos 50 trajes típicos e todos foram vendidos. A partir de então, todo início de segundo semestre, a empreendedora se dedica à confecção das roupas de Frida. Neste ano, foram feitos mais de 150 trajes. Inclusive, muitos enviados para clientes de São Paulo.


Aposta no e-commerce e expansão da loja física

Atualmente, a MC Clothing ocupa todo o espaço do galpão atrás da casa de Tuani. Na parte da frente, fica a loja e, atrás, é onde estão as máquinas de costura.

Com o crescimento da loja, a mãe deixou a facção e hoje ajuda a filha na produção das peças para a marca. Tuani também compra algumas peças de costureiras da cidade, que são especialistas em modinha feminina.

No início, quando começou a fazer as próprias roupas por necessidade, Tuani nem imaginava que hoje seria dona do próprio negócio. Ela cresceu observando a mãe na máquina de costura e, durante a infância, chegou a dizer que nunca trabalharia como costureira.

Mas o destino logo se encarregou de mudar o pensamento da menina, que ainda adolescente, aprendeu o ofício para poder ajudar a mãe. Hoje, ela não se vê fazendo outra coisa. “Eu vivo disso e quando vejo a peça pronta e alguém usando não sei explicar a sensação, é muito bom”.

Com apenas 23 anos, Tuani sabe muito bem o que quer e vislumbra um crescimento e reconhecimento ainda maior da marca. Pretende, para o próximo ano, fazer uma grande reforma na loja, já que pretende ficar ainda por alguns anos com a loja no bairro.

“Quero continuar com as vendas pela loja online e deixar a loja física bem maior. Por enquanto, quero ficar no Poço Fundo, mas não descarto, mais tarde, ir para o Centro. É um grande desejo, mas ainda precisa de muito planejamento”.

Deixe uma resposta