Pesquisa aponta queda no percentual de endividamento dos catarinenses em abril

Quantidade de famílias com contas em atraso também diminuiu

Pesquisa aponta queda no percentual de endividamento dos catarinenses em abril

Quantidade de famílias com contas em atraso também diminuiu

É a terceira redução consecutiva do índice. Na comparação anual, inversamente, o resultado apresentado foi de alta, tendo o endividamento variado 0,9 pontos percentuais.

Dados do estudo mostram ainda que 34,2% das famílias endividadas e com contas em atraso terão condições de pagar totalmente suas dívidas. Conforme o economista da Fecomércio-SC, Maurício Mulinai, o padrão de endividamento das famílias catarinenses continua muito positivo.

“Tendo como ponto de vista o endividamento por faixa de renda, é possível perceber que as famílias com renda inferior a 10 salários mínimos estão um pouco mais endividadas, em comparação com o mesmo tipo de grupo com renda superior a 10 salários mínimos”, diz Mulinari.

Na categoria dos muito endividados, há maior participação das famílias com renda até de 10 salários mínimos (S.M.), o inverso ocorre na categoria dos pouco endividados – representando 12,2% ante 9,8% na primeira, e 26,3% ante 45,1% na segunda.

Muito endividados
O nível de endividamento das famílias, em geral, apresenta os muito endividados variando significativamente (-6,8 pontos percentuais), passando de 18,5% em março para 11,7% em abril. Os mais ou menos endividados subindo e passando de 39,1% em março para 43,9% em abril.

Entre os poucos endividados houve uma pequena alta: de 29,1% registrados em março para 30,5% de abril. Aqueles que responderam não ter dívidas desse tipo somam 13,9%, ante 13,3% que representavam em março de 2013.

Comparando-se anualmente, a queda dos muito endividados é expressiva e denota uma melhora significativa do endividamento das famílias do Estado. Se em abril de 2012, quase metade dos entrevistados (43,7%) afirmava estar muito endividada, em abril deste ano apenas 11,7% se colocam na mesma situação.

Cartão de crédito como principal dívida
O cartão de crédito permanece com o posto de principal agente de endividamentos dos catarinenses. Ele é responsável por 61,7 % das dívidas dos catarinenses.

Para a Fecomércio-SC, a comodidade deste tipo de dívida, a grande expansão no número de cartões de crédito dos últimos anos, as quedas nas taxas de juros em comparação com anos anteriores e outras facilidades deste tipo de produto financeiro são os principais motivos para a alta participação desse tipo de dívida na estrutura de endividamento do catarinense. Em segundo, terceiro e quarto lugar aparecem, respectivamente, os financiamentos de carros, carnês e financiamento de casas.

Contas em atraso
A quantidade de famílias com contas em atraso também apresentou queda na comparação entre março e abril. De 28,9% de famílias com contas em atraso em março, temos em abril 23,6%. A maior parte das famílias, 76,4%, não tem contas em atraso. Pelo menos 34,2% das famílias endividadas afirmaram que terão condições de pagar totalmente suas dívidas.

O tempo de pagamento destas contas em atraso se concentra acima dos 90 dias, representando 52,9%. O período entre 30 e 90 dias é de 22,4%. E o mais curto, até 30 dias, apresenta 24,7%. Em geral, a média de tempo em dias para quitação das dívidas em atraso tem sido de 64,7.



Fonte: Fecomércio-SC
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio