Pesquisa IPS/Univali avalia intenção de voto do brusquense, se a eleição fosse direta

Pesquisa mostra que se a eleição para prefeito fosse por voto popular, Roberto Prudêncio teria, hoje, vantagem sobre Ingo Fischer

Pesquisa IPS/Univali avalia intenção de voto do brusquense, se a eleição fosse direta

Pesquisa mostra que se a eleição para prefeito fosse por voto popular, Roberto Prudêncio teria, hoje, vantagem sobre Ingo Fischer

O Município Dia a Dia apresenta pesquisa exclusiva de intenção de voto realizada junto ao eleitorado brusquense, em relação às suas preferências para comandar a Prefeitura de Brusque. A pesquisa ocorre em cenário hipotético: caso a eleição fosse por voto popular. No dia 16 de abril, foram ouvidas 637 pessoas em todos os bairros do município.

A avaliação foi encomendada pelo jornal junto ao Instituto de Pesquisas Sociais (IPS) da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e, conforme o coordenação do IPS, segue todas as recomendações do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC). Essa é a primeira de uma série de pesquisas que serão publicadas nas próximas edições.

Considerando um eleitorado de 82.022 pessoas, a pesquisa apresenta margem de erro de 3,95 pontos percentuais, para mais ou para menos, e um intervalo de confiança de 95%. Isto significa que se forem realizadas 100 pesquisas com a mesma metodologia, 95 delas dariam resultados dentro do intervalo estatístico, dentro de cada variável.

Por exemplo, se um dos candidatos tiver intenção de voto de 45%, em 95 pesquisas essa intenção de voto estaria entre 41,05% e 48,95%. As entrevistas foram distribuídas em todos os bairros, de forma proporcional à quantidade de domicílios particulares, de acordo com metodologia proposta pelo TRE-SC.

A pesquisa de intenção de voto colocou ao eleitor duas opções: a escolha espontânea do candidato preferido e, ainda, a escolha pré-determinada entre um dos dois candidatos que oficialmente concorrem à prefeitura, no dia 30 deste mês. Nos dois cenários, o prefeito interino Roberto Prudêncio Neto (PSD) lidera.

Na pesquisa espontânea, quando não são apresentadas opções de candidatos ao eleitor, Prudêncio aparece com 12,09% das intenções de voto, seguido por Ingo Fischer (PP), com 11,77%. O ex-prefeito Ciro Roza, do PSD, vem logo atrás: tem a preferência de 9,11% do eleitorado.

Na sequência, outros candidatos apresentam menor intenção de voto. O vereador Guilherme Marchewsky (PMDB), citado como “Seu Guilherme” pelos entrevistados, alcançou 6,91% das intenções de voto, na pesquisa espontânea. Pontuaram também o ex-prefeito petista Paulo Eccel (5,34%) e o deputado tucano Serafim Venzon (4,71%).

Ainda na espontânea, 13,66% disseram que votariam em branco ou anulariam o voto, e 19,94% não souberam responder, ou não quiseram opinar. Um dado curioso é que, entre as 53 opções citadas pelos eleitores brusquenses, 0,16% apontou uma em especial: qualquer candidato, exceto do PT.

Prudêncio em vantagem sobre Ingo Fischer

Além da pesquisa espontânea, o IPS também realizou, junto ao eleitorado brusquense, a pesquisa estimulada: quando é apresentada ao eleitor uma lista pré-determinada de candidatos. Neste caso, os nomes constantes nessa lista são do prefeito interino Roberto Prudêncio Neto (PSD), e do empresário Ingo Fischer, ambos concorrentes na eleição indireta marcada para o dia 30.

Conforme a pesquisa, caso a eleição fosse direta, a chapa com Prudêncio para prefeito e Danilo Rezini (PMDB) para vice teria, hoje, 42,23% das intenções de voto, contra 35,48% alcançados pela chapa composta por Fischer e Juarez Piva (PP).

A pesquisa apontou ainda um número grande de eleitores que não apoia nenhuma das candidaturas: 15,86% votaria em branco ou anularia o voto. Além disso, 6,44% não sabe em quem votaria, ou não respondeu ao questionamento.

>> O Município Dia a Dia proíbe a reprodução parcial ou integral de sua pesquisa eleitoral.

 

VOTOS

votos 2

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio