Conteúdo exclusivo para assinantes

Policial militar morto por três criminosos será enterrado em Ituporanga

Everaldo Soares de Campos chegava em cooperativa de crédito de Guabiruba quando foi alvejado com sete tiros

Policial militar morto por três criminosos será enterrado em Ituporanga

Everaldo Soares de Campos chegava em cooperativa de crédito de Guabiruba quando foi alvejado com sete tiros

O relógio marcava 10h35 quando o policial militar Everaldo Soares de Campos, 42 anos, parou seu carro Honda Fit no estacionamento da cooperativa de crédito Viacredi, no Centro de Guabiruba. Em frente à agência, criminosos já aguardavam a chegada do cabo em um HB20 branco, com placas de Brusque.

Assim que desceu do carro com uma mochila com um malote com dinheiro – valor não divulgado -, três criminosos armados saíram do HB20 e foram em direção ao policial. Everaldo não teve tempo para reagir: apenas ergueu os braços e jogou a mochila no chão. Mesmo assim, os criminosos fizeram diversos disparos contra o militar, que caiu no chão.

Uma mulher que estava ao lado do policial e presenciou toda a ação precisou correr e se esconder atrás de um Fiorino, que estava estacionado próximo ao local. Após o crime, os três assaltantes entraram no HB20, onde um motorista aguardava, e fugiram em alta velocidade.

Um homem que se dirigia para a agência, de motocicleta, disse que viu quando o carro passou em alta velocidade. “Eu precisei esperar em uma esquina para eles passarem e ainda esbravejei por causa da velocidade. Quando cheguei na agência vi o policial agonizando e o reconheci”, conta.

Socorro
Às 10h38, o Corpo de Bombeiros de Guabiruba recebeu o chamado e imediatamente se deslocou para o local. Os socorristas encontraram o policial consciente, porém desorientado e com dificuldades respiratórias.

No primeiro momento, os bombeiros identificaram sete perfurações no corpo de Everaldo: dois na região pubiana, um no joelho direito e quatro na região entre abdômen superior e o tórax inferior (região de fígado, baço, pâncreas, estômago, pulmões). O policial foi imobilizado e encaminhado ao Hospital Azambuja.

Suelen Cerbaro / Especial

Falecimento
Era 11h25 quando a assessoria de imprensa do Hospital Azambuja confirmou a morte do cabo Everaldo. A causa da morte foi hemorragia interna.

O comandante do 18º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Moacir Gomes Ribeiro, conta que os tiros que atingiram o policial foram feitos por armas com munições de calibre 9 milímetros. Um dos criminosos, no entanto, portava também uma arma longa, não identificada.

Velório
O velório do cabo Everaldo iniciou às 21h de ontem, no quartel do 18º BPM, em Brusque. Ainda nesta madrugada, por volta das 4h, o corpo foi levado para Ituporanga, cidade natal do policial.

A missa de corpo presente ocorrerá às 16h de hoje, na igreja católica Sagrado Coração de Jesus. O sepultamento será às 17h, no cemitério ao lado da igreja, no bairro Cerro Negro. Everaldo era casado e deixa esposa, uma filha de 1 ano e meio e um enteado.

Investigações
A Divisão de Investigação Criminal (DIC) está responsável pelas investigações do crime. O delegado Alex Bonfim Reis informa que neste primeiro momento o crime está sendo tratado como latrocínio – roubo seguido de morte.

“Ainda não temos muitos informações que possam ser repassadas, mas estamos em diligências. Todos estão muito empenhados para esclarecer logo esse crime”, diz.

A Agência de Inteligência (AI) da Polícia Militar está auxiliando a Polícia Civil com levantamento de dados. O Instituto Geral de Perícias (IGP) esteve na cooperativa e no local onde o carro foi abandonado e iniciou as perícias.

Segundo o comandante da PM, o policial estava desde o início de setembro de licença especial – premiação recebida quando atinge cinco anos de trabalho. Ou seja, não estava de serviço no momento do crime.

A polícia investiga como os criminosos sabiam que Campos estaria no local com o dinheiro. Não há informações oficiais sobre o que a vítima fazia no local no momento do crime.

Pedro Paulo Angioletti / Rádio Araguaia

Busca pelos criminosos
No fim da manhã, o HB20 foi localizado em uma transversal da rua José Dirschnabel, no bairro Guabiruba Sul. Diversos policiais militares e civis foram envolvidos durante todo o dia para as buscas pelos criminosos.

O helicóptero da PM sobrevoou a área de mata fechada a procura dos assaltantes. O Canil de Blumenau e Balneário Camboriú também prestaram apoio à ocorrência, assim como a Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (Rocam) de Blumenau e de Brusque.

Como a polícia não sabia se os criminosos trocaram de carro para seguir fuga, algumas casas foram revistadas na região.

Notas oficiais
A Viacredi se manifestou por meio de nota oficial se solidarizando com a família do policial e informou que o crime ocorreu na área externa da cooperativa, ou seja, nenhum valor foi roubado da agência.

O delegado regional Fernando de Faveri também emitiu nota oficial manifestando sentimentos de pesar pelo falecimento do policial. “Salientamos que a Polícia Civil de nossa região e adjacências, integralmente mobilizada, com o apoio de inúmeros outros agentes de segurança, não poupará esforços na identificação e prisão de todos os autores deste crime”.

O Corpo de Bombeiros e Guarda de Trânsito de Brusque (GTB) também se solidarizaram com a família e os colegas do policial por meio de manifestações nas redes sociais.

Exemplo de profissional
O policial Everaldo Soares de Campos trabalhava há 19 anos na corporação de Brusque, onde também se formou. Há quase 14 anos ele integrava o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT). Comprometido com o trabalho, o cabo amava o que fazia.

O comandante da PM, tenente-coronel Gomes descreve Campos como um bom amigo e parceiro de todos, que escutava mais do que falava. “Era o tipo de profissional que todo chefe gostaria de ter na empresa, corporação ou instituição”.

Everaldo era um policial que estava sempre fazendo cursos em busca de qualificação e aprimoramento. “Era um exemplo para os demais e por isso que sentimos ainda mais pela perda dele. Como comandante, é muito triste ver alguém tombar em virtude de um ato tão cruel”, diz.

 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio