Prefeito de Guabiruba avalia o primeiro mês de governo

Kohler e Zirke se reuniram com a imprensa e os secretários para dar esclarecimentos e anunciar mudanças

Prefeito de Guabiruba avalia o primeiro mês de governo

Kohler e Zirke se reuniram com a imprensa e os secretários para dar esclarecimentos e anunciar mudanças

Na manhã de quarta-feira, dia 6 de fevereiro, o prefeito de Guabiruba, Matias Kohler, e o vice, Valmir Zirke, se reuniram com imprensa e o secretariado para apresentar um balanço da administração pública do município no primeiro mês de gestão. 

Mudanças

O gabinete do vice passará a ser ao lado do gabinete de Kohler. Com isso, no dia 11 de fevereiro, considerado ponto facultativo, a Prefeitura estará fechada para essa alteração estrutural. 

Neste fim de semana, a Secretaria de Educação também muda de local. Passará a ocupar um espaço no mesmo prédio em que funciona a Câmara Municipal. 

Crise

Para Kohler é preciso enfrentar a crise da Associação Hospitalar de Guabiruba. Segundo ele, o fato ocorre há anos e se agravou em 2012, o que pode acarretar o encerramento das atividades da associação. A ideia é formatar um modelo de projeto de lei que autorize o repasse de verba para zerar as dívidas e preparar a associação para ser extinta. Os próximos passos seriam a dissolução da associação, a destinação do patrimônio à prefeitura e o acerto das contas.


Obras acesso Guabiruba e Brusque

As obras para a pavimentação do acesso entre Guabiruba e Brusque caminham a passos lentos, para a angústia dos moradores e comerciantes. Houve uma série de transtornos: por razões climáticas, na implantação da tubulação de água, da paralisação dos serviços – em virtude do período de férias – da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) e Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. (Celesc).

Além dessas questões, o novo obstáculo é com relação à desapropriação das áreas atingidas. 

– Não houve um cuidado por parte de quem iniciou o processo, pois não foi feito esse levantamento – opina Kohler.

Surpresa e raio X da saúde

Para Kohler, o abrir das gavetas da gestão anterior gerou algumas surpresas. Uma das mais preocupantes foi a questão do convênio para a compra de uma pá carregadeira. 

Outra questão é o levantamento, realizado em janeiro, que apontou uma demanda reprimida de 156 cirurgias, 140 exames e 533 consultas especializadas no município. 

– São números grandes. Estamos estudando a melhor forma para resolver isso, porque sabemos que a demanda vai continuar crescendo porque há o movimento normal – enfatiza o prefeito.


Investimentos e concurso

O prefeito declarou que está trabalhando na aquisição de áreas para implantação de serviços, como postos de saúde, creches, abatedouro e cemitério municipais. Sobre a construção do abatedouro municipal, Kohler e o Secretário de Agricultura, Moacir José Boos, afinaram os discursos de que o projeto está concluído, faltando apenas a definição do local onde será construído, o que está sendo analisado pela Fundação do Meio Ambiente – Fatma e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama.

> Saiba mais na edição impressa do jornal MDD desta quinta-feira, 7 de fevereiro.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio