Prefeitura de Brusque espera arrecadar R$ 35 mil para a Vila Olímpica

Município abre edital para empresas interessadas na compra dos eucaliptos plantados em terreno, na Volta Grande

Prefeitura de Brusque espera arrecadar R$ 35 mil para a Vila Olímpica

Município abre edital para empresas interessadas na compra dos eucaliptos plantados em terreno, na Volta Grande

Depois de oito meses desde a última reunião com entidades esportivas sobre a Vila Olímpica, enfim a Prefeitura de Brusque deu o primeiro passo para que as obras saiam do papel. Foi aberto na última semana um edital de concorrência pública para empresas interessadas em comprar os eucaliptos do terreno onde a Vila será construída. O local de cerca de 480 mil metros quadrados fica no bairro Bateas, na localidade de Volta Grande, e antes pertencia à empresa de tabaco Souza Cruz.

Estão marcadas para o próximo dia 16 de maio tanto a entrega das propostas quanto a divulgação do resultado, apresentando a empresa que será dona das árvores. A própria empresa vencedora será responsável pela limpeza do terreno e, segundo consta no edital, terá 90 dias para fazê-lo. Segundo o superintendente da Fundação Municipal de Esportes (FME), Delmar Tondolo, os valores obtidos na transação comercial serão revertidos em recursos para a própria Vila. “A intenção é usar esse dinheiro para investir na estrutura física de alguns espaços do projeto”, explica.

De acordo com o levantamento feito e apresentado no edital, o volume de eucaliptos é de mais de 1,3 mil metros cúbicos, com um valor total em lenha estipulado em R$ 35.210,50 – R$ 26 por m³. Esse deve ser o preço mínimo ofertado pelos serviços, sendo que quem apresentar o maior preço vence a licitação.

CTG e Fenajeep são prioridades

Com o apoio de engenheiros ambientais da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema), foram separadas áreas dentro do terreno. Cada área diz respeito ao espaço de uma modalidade ou evento, como o estádio municipal e o kartódromo, por exemplo. No edital estão estipulados os prazos para a retirada das árvores em cada área.

O diretor do Departamento Geral de Infraestrutura (DGI), Júlio César dos Santos, explica que algumas entidades têm mais pressa para o início de suas obras e por isso receberam um prazo mais curto. “Nós precisávamos abrir esse edital porque não temos na prefeitura quem faça esse tipo de trabalho. Algumas áreas têm prioridade porque as entidades já querem iniciar as obras. São os casos dos espaços para o CTG e também a Fenajeep”, completa Santos.

Contudo, a prefeitura de Brusque pode encontrar dificuldades durante o processo de venda. Como explica matéria sobre o mercado do eucalipto publicada pelo Município Dia a Dia no último mês, produtores de eucalipto da região sofrem com o excesso das árvores em oferta e a falta de demanda. Mesmo assim, o diretor do DGI mantém o otimismo. “O eucalipto é muito procurado pelo setor da construção civil. É uma madeira boa também para a produção de cavaco, que alimenta caldeiras para a produção de fábricas”, completa.


Semifinal do Amador no domingo

No domingo, às 10h, no estádio Augusto Bauer, o Carlos Renaux enfrenta o Cedrense pela volta de uma das semifinais do Campeonato de Futebol Amador de Brusque. Este é um jogo isolado pela primeira divisão. A outra semi, Poço Fundo x Caçador, será disputada em outra data.

O Carlos Renaux tem uma missão complicada de bater o bom time do Cedrense. Na ida, o alvinegro de Dom Joaquim ganhou por 2 a 1, ou seja, joga pelo empate. E se fizer um gol obrigará o Vovô a marcar três – dois de diferença. Pelo lado do Renaux o ponto de vista positivo é que o 1 a 0 garante a classificação por causa do gol fora de casa.

Pela segunda divisão do Amador de Brusque também haverá um jogo isolado no domingo: o Santa Cruz de Pernambuco enfrenta o Sete de Setembro no estádio Maria Steffen, às 15h30. Na ida, o Santa ganhou por 2 a 1.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio