Prefeitura de Brusque estuda implantar alojamento para animais de rua

Com frio, atualmente caixas de papelão e bacias servem de abrigo para bichinhos

Prefeitura de Brusque estuda implantar alojamento para animais de rua

Com frio, atualmente caixas de papelão e bacias servem de abrigo para bichinhos

Assim como os moradores de rua, os animais abandonados também sofrem com o frio. Em Brusque são aproximadamente 3 mil bichinhos que vivem em situação de vulnerabilidade.

Leia também: Lojistas de Brusque são surpreendidos pela grande procura por aquecedores

A Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Acapra) não possuiu um projeto destinado a cuidados específicos neste período de temperaturas próximas de zero grau. Porém, a entidade realiza um trabalho de conscientização com a população.

A presidente Lilian Dressel diz que as pessoas que observarem animais com frio podem ajudá-los de algumas formas: abrigando-os em casinhas, que podem ser improvisadas com caixas de papelão ou bacias, e também por meio de um lar temporário. “Hoje temos poucos voluntários e não conseguimos saber exatamente onde os bichinhos estão. Pedimos que quem ver animais na rua colabore de alguma forma, abrigando-os em frente à casa ou mesmo na rua”.

A entidade orienta as pessoas a fazerem a “Bacasa” – que são duas bacias coladas com uma portinha. “É barato e protege o animal”.

Lilian afirma ainda que muitas vezes o bichinho que está na rua consegue obter mais facilmente meios para sobreviver no frio do que outros que estão acorrentados. “Bichos com donos, mas que estão amarrados, sofrem mais do que os que estão da rua. Não pegam sol e não deixa de ser uma forma de mau-trato”, explica Lilian, que aconselha se alguém souber de casos assim para que denuncie à Acapra.

Segundo Lilian, geralmente os filhotes são os que mais são vulneráveis às temperaturas baixas, e se não cuidados, podem até morrer.

Casinhas de alumínio

Lilian diz que um projeto desenvolvido em Lages , na Serra catarinense, é uma das aspirações da Acapra para o futuro. Lá, voluntários instalaram 500 casinhas de alumínio por vários bairros do município para abrigar os animais. “Pensamos em fazer algo parecido. Mas precisamos de recursos e aprovação. Quem sabe com o tempo consigamos fazer o mesmo em Brusque”.

Abrigo temporário

O prefeito de Brusque, José Luiz Cunha, o Bóca, afirma que assim como a ação de abrigar moradores de rua, a prefeitura disponibilizará uma equipe para oferecer proteção aos animais de rua. Ele conta que a discussão está sendo realizada com o vereador Moacir Giraldi (DEM).
Segundo o vereador, o governo estuda a possibilidade de um alojamento temporário para estes bichinhos. “Não temos como recolher todos, mas queremos dar um abrigo neste momento de frio intenso”.


Doenças aumentam

Com o aumento do frio também cresce os atendimentos veterinários. José Antônio Gesser Júnior, veterinário na Zeca Clínica Veterinária, diz que doenças articulares degenerativas, caracterizada pela perda de mobilidade, são frequentes neste período.

Além disso, os animais sofrem também com problemas na coluna, cistite e doenças respiratórias. “Tanto gatos e cachorros acabam bebendo menos água, o que gera o problema urinário. Também podem desenvolver tosse, bronquite, e alguns ainda até morrer por hipotermia”.

O veterinário diz que neste clima os gatos preferem locais mais altos, já que o chão é mais frio. Para os cachorros é aconselhável que se abriguem em acolchoados.


20160616-16

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio