Prefeitura de Brusque lança programa de assistência domiciliar a pacientes crônicos

Iniciativa disponibiliza médico, enfermeiro e fisioterapeuta para cuidar de acamados

Prefeitura de Brusque lança programa de assistência domiciliar a pacientes crônicos

Iniciativa disponibiliza médico, enfermeiro e fisioterapeuta para cuidar de acamados

A Prefeitura de Brusque lançou nesta terça-feira, 14, o programa de assistência domiciliar, cujo objetivo é incrementar o atendimento de pacientes acamados, que não tem condições de ir até os locais onde são feitos os serviços de saúde.

O secretário de Saúde, Humberto Fornari, afirma que esse tipo de atendimento é uma ampliação do programa Melhor em Casa, do governo federal, por meio do qual é disponibilizado ao paciente acamado a entrega de medicamentos e fraldas, por exemplo.

Atualmente, o mapeamento da Secretaria de Saúde identificou pouco menos de 150 pacientes que podem ser atendidos no programa de assistência domiciliar. Se fossem seguidos os critérios do Melhor em Casa, seria em torno de 50.

Ao todo, 143 enfermos se enquadram no público-alvo do projeto. Nesta primeira etapa, foram selecionadas 51 pessoas que terão atendimento prioritário, sendo 28 com Acidente Vascular Cerebral (AVC), oito com alzheimer, oito com câncer, um com paralisia cerebral, um com mal de parkinson e, ainda, um com esclerose múltipla.

“O objetivo é atender mais. Trazer uma resposta mais rápida para a população que não consegue se locomover”, explica o secretário.

O programa na prática

Para viabilizar o programa, a prefeitura contratou um médico e um enfermeiro, que se somam a um fisioterapeuta. Esses profissionais trabalharão com os pacientes acamados, cujas necessidades já foram mapeadas pela secretaria.

Conforme o secretário, as pessoas que ficam acamadas muito tempo tendem a desenvolver problemas como pneumonia, secreção maior nos pulmões e atrofia muscular. Para evitar isso, a equipe fará acompanhamento contínuo, semanal, quinzenal ou mensal, dependendo da necessidade do paciente.

De acordo com Fornari, se antes o cuidador tinha que ir até a unidade de saúde pedir serviços e atendimento domiciliar, agora a equipe está em busca do paciente e identificando suas necessidades, que pode ser desde um reforço alimentar até uma internação em UTI, caso seja necessário.

Além das consultas com os profissionais, o atendimento domiciliar contempla, por exemplo, a aplicação de curativos e medicação, e a orientação dos familiares no cuidado com o paciente acamado.

Caso o paciente necessite de serviços em especialidades que não são de competência da equipe, a prefeitura conta com o suporte do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

A intenção da prefeitura é iniciar o acompanhamento dos pacientes já mapeados e, aos poucos, expandir o serviço. Com o monitoramento e as visitas da equipe, mais pessoas podem ser contempladas, caso os profissionais identifiquem essa necessidade.

Fornari revela que, caso necessário, a prefeitura poderá contratar mais profissionais para atuar no programa, expandindo ao máximo esse tipo de atendimento.

Mais acolhimento à população

O secretário de Saúde diz que a intenção do programa é fazer com que os pacientes e a família se sintam mais acolhidos, com uma atenção especial em relação aos seus problemas de saúde.

O programa foi gestado no ano passado, e desde então, tem sido feito o cadastramento de pacientes, indicados pelos profissionais da atenção básica.

O vice-prefeito Ari Vequi diz que a iniciativa servirá para apoiar os familiares. Ele afirma que sabe o quão necessário é este suporte, pois sua mãe está também acamada, e que por isso a iniciativa só tem a contribuir para melhoria das condições de saúde.

O prefeito Jonas Paegle, por sua vez, afirma que o programa marca o início de uma nova etapa para a Secretaria de Saúde, e destaca seus benefícios não só para o paciente, mas para a família.

“A família às vezes está cansada, exausta, fatigada. Chegando lá o médico ou a enfermeira vai dar uma nova tônica ao ambiente familiar”, avalia Paegle.

“É um acompanhamento mais aprimorado. Esse atendimento é muito importante. Tem paciente com  alzheimer, câncer, paralisia cerebral, várias patologias. Para isso tudo tem que ter uma equipe multidisciplinar”, conclui o prefeito.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio