Prefeitura de Brusque planeja ampliar número de bocas de lobo para conter alagamentos

O objetivo do projeto é instalar mil novas peças pré-moldadas

Prefeitura de Brusque planeja ampliar número de bocas de lobo para conter alagamentos

O objetivo do projeto é instalar mil novas peças pré-moldadas

Em dias de chuva intensa, Brusque registra inúmeros alagamentos em ruas de bairros como Santa Rita, Santa Terezinha e Centro. Para minimizar o impacto do mau tempo, a prefeitura elabora um projeto de ampliação no número de bocas de lobo.

Ainda em fase inicial, o projeto visa implantar mil bocas de lobo pré-moldadas no município. Segundo o novo secretário de Obras, Rúbio Steingraber, atualmente, a equipe de manutenção de bueiros constrói, no máximo, três peças novas por dia. Por outro lado, com concreto pré-moldado, a implantação sobe para cerca de dez ao dia.

Para instalar a boca de lobo pré-moldada, explica o secretário, bastará escavar o espaço necessário para a implantação, colocar a peça já finalizada e, posterirormente, aterrar o local e finalizar os danos na rua e na calçada.

“O projeto é embrionário. Estou trabalhando [na Secretaria de Obras] há uma semana e estou conhecendo várias ruas da cidade. Estamos percebendo essa necessidade de aumentar o número de bocas de lobo em função do entupimento das tubulações”, afirma.

Steingraber explica que, em determinadas vias, o espaçamento entre as bocas de lobo é inadequado. Ou seja, deveria ser maior. Portanto, afirma ele, com a implantação de novos sistemas entre os já existentes, a microdrenagem funcionará melhor.

“Às vezes a macrodrenagem é suficiente para dar essa vazão, mas a microdrenagem não porque a boca de lobo acaba entupindo de lixo e causando alagamento em uma região muito grande. Então se conseguirmos aumentar o número, pelo menos não vai causar o alagamento”, diz.

Embora não fale em datas de lançamento do processo licitatório que selecionará a empresa responsável pelo serviço, o secretário afirma que o projeto ocorrerá neste ano. Ele afirma também que ruas como a Alberto Klabunde, no bairro Paquetá, e a Alberto Müller, no Limeira, além dos bairros Nova Brasília e Santa Rita, são alguns dos pontos que precisam da instalação de mais bocas de lobo.

Equipe de limpeza

Atualmente, a equipe de limpeza de bocas de lobo da Secretaria de Obras conta com cerca de 18 colaboradores, que realizam serviços programados e emergenciais. De acordo com o secretário, a equipe limpa cerca de 3,5 mil bueiros por mês em cerca de dez bairros. Além da limpeza, também são realizadas a manutenção das peças danificadas.

Junto à equipe, e dependendo da necessidade, atua um caminhão hidrojato. O veículo é utilizado para desentupir a tubulação e para limpar a calçada nos casos em que há lama. Hoje, o órgão utiliza um caminhão alugado, que será regularizado por meio de processo licitatório – o edital será lançado em 2 de maio.

“A limpeza das bocas de lobo é feita manualmente. Mas como há muitas ruas com material de macadame ou mesmo estrada de barro, esse material das ruas acaba caindo na boca de lobo e descendo ao longo da tubulação. Então a função do hidrojato é desentupir isso”, explica Steingraber.

Conscientização

Para o secretário, é fundamental que a população do município auxilie a Secretaria de Obras na preservação das bocas de lobo. Segundo ele, a maior dificuldade em relação à manutenção está relacionada à quantidade de lixo que os moradores depositam nas ruas.

“A manutenção das próprias calçadas é importante. Muita gente não zela pelas calçadas. Se todo mundo fizesse a limpeza periódica em frente às casas e aos comércios, a chuva não levaria a sujeira para as bocas de lobo e tudo seria mais fácil”, diz.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio