Conteúdo exclusivo para assinantes

Prefeitura de Brusque retoma atendimento em dois turnos fora da sede administrativa

Órgãos que funcionam de forma separada, como o Samae e a Fundação Cultural, passam a atender em dois turnos

Prefeitura de Brusque retoma atendimento em dois turnos fora da sede administrativa

Órgãos que funcionam de forma separada, como o Samae e a Fundação Cultural, passam a atender em dois turnos

Desde o início da semana passada, a Prefeitura de Brusque reformulou o horário de atendimento de parte de seus órgãos. Tudo o que não funciona no imóvel da sede administrativa, em frente à praça Sesquicentenário, passa a atender das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Com isso, órgãos que até então atendiam somente das 12h às 18h, como o Samae, a Fundação Cultural, a Fundema e o Zoobotânico, passam a atuar em dois turnos. Na sede da prefeitura, contudo, o atendimento em turno único está mantido, por tempo indeterminado.

A exceção a esses horários é a Secretaria de Obras, a qual, devido à natureza dos serviços, realizados ao ar livre, possui horário de atuação dos funcionários das 7h às 13h.

O governo justificou a medida com base em dois argumentos: houve diversas cobranças da população e entidades em relação ao aumento do horário de atendimento; e também não foi constatada economia relevante de recursos, com a redução do horário, fora da sede administrativa.

Sobre o primeiro, o secretário de Governo e Gestão Estratégica, William Molina, explica que a prefeitura recebeu ofícios da Câmara de Vereadores e de entidades representativas da sociedade, na qual se pugnava pela volta do atendimento dois turnos.

A partir disso, ele explica, o governo iniciou uma análise para ver se compensaria ou não expandir o horário de atendimento.

“Concluímos que, apesar de todos [os setores] gerarem diminuição nos custos com atendimento em seis horas, isso não é representativo nos setores externos”, afirma o secretário.

Segundo ele, a economia gerada com o turno de seis horas só é relevante na sede administrativa, onde há o maior consumo de energia elétrica, água, telefone e outros materiais.

Manter a prefeitura aberta o dia todo, porém, ainda encontra resistência no governo. Molina diz que os números apurados pelo governo revelam que a demanda de atendimentos pela manhã só passa a ser significativa entre 10h e 11h.

Ainda conforme o secretário, parte do público atendido na prefeitura procura vir um pouco mais tarde para aproveitar também o horário de atendimento do fórum, que inicia ao meio dia.

Ele explica que o governo está fazendo um levantamento, que será finalizado em março, após o horário de verão, para apurar os reais custos e a eventual economia gerada de acordo com a quantidade de horas de atendimento.

Os números, afirma Molina, determinarão se os horários continuarão como estão ou se haverá nova mudança em março de 2018.

 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio