Prefeitura de Guabiruba apresenta fluxo de trabalho para atender vítimas de violências

Cronograma foi criado em parceria com órgãos e entidades ligados ao município

Prefeitura de Guabiruba apresenta fluxo de trabalho para atender vítimas de violências

Cronograma foi criado em parceria com órgãos e entidades ligados ao município

A Prefeitura de Guabiruba apresentou ontem à tarde o fluxograma de atendimento às vítimas de violências, em uma audiência pública na Câmara de Vereadores. O cronograma foi criado em parceria com órgãos e entidades, como as secretarias de Saúde, Educação e Assistência Social, Habitação e Emprego; Associação Hospitalar, Conselho Tutelar, Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) e Ministério Público.

Dois protocolos de atendimentos foram apresentados: um para o atendimento de crianças e adolescentes e outro para mulheres e idosos. A psicóloga da Secretaria de Saúde de Guabiruba, Mônica Colombi, que coordenou a reunião, informa que o fluxograma auxiliará os profissionais e instituições que atendem essa demanda. “A iniciativa para a formulação do fluxograma se deu a partir do momento em que percebemos que muitos profissionais, às vezes, não sabiam quais serviços eram responsáveis por trabalhar e atender essas situações. Com isso, percebemos a necessidade de organizar os atendimentos”.

Para Mônica, o fluxograma tende a melhorar o atendimento, pois se tornará mais humanizado e cuidará das questões de juízo de valores e atitudes. “Os profissionais ficarão mais seguros, pois sabem o que fazer, para onde encaminhar e se a pessoa já passou por algum segmento”.

O delegado da Dpcami, Ricardo Marcelo Casarolli, ressalta que os fluxos de trabalho têm como objetivo disciplinar todo encaminhamento que envolve os diversos órgãos. “Tem muitas informações de violências e abusos que chegam em diversos locais diferentes. E, na falta de um fluxo de trabalho que leve essa informação da melhor maneira, é possível que percamos a possibilidade de apurar, sem falar nos prejuízos para a vítima”, analisa.

Para ele, o estabelecimento de um fluxo aprimora a atividade que já vem sendo feita pelos órgãos, mas que às vezes, por falta de sincronia, gera alguns transtornos no encaminhamento das situações. “O fluxograma tende a trazer uma evolução e qualidade na apuração das infrações penais. Além de evitar a cifra negra (casos não registrados), e que crimes não sejam apurados e autores não sejam responsabilizados”.

O delegado Casarolli acrescenta que o fluxograma trará mais credibilidade nas informações, pois a partir do momento que se tem uma melhor organização, estimula as pessoas a procurarem os órgãos. “Sem contar a facilitação para implantação de políticas públicas, pois quando se tem dados bem reais, é possível estabelecer que tipo de demanda existe no município e como estruturar os órgãos para melhor atender”.

Como é quase impossível melhorar a estrutura com implementação de pessoal, o delegado diz que melhorar a qualidade do atendimento já agiliza bastante aos órgãos.

O prefeito Matias Kohler também esteve na audiência, junto do vice-prefeito Valmir Zirke; presidente da Câmara de Vereadores e membro do Conselho Municipal de Segurança Pública (Conseg), Felipe Eilert dos Santos; comandante da Polícia Militar, sargento Marciano Panca; comandante do Corpo de Bombeiros, sargento Carlos Henrique de Andrade, e vereadores Luciano Schlindwein, Waldemiro Dalbosco e Nilton Rogério Kohler.


Principais tipos de violência

Sexual

Acontece quando, com ou sem uso de violência, uma pessoa é induzida a manter contatos ou passar por situações que visam à satisfação sexual da outra pessoa. Exemplo: manipulação, exibicionismo, carícias, ato sexual com ou sem penetração, exposição à pornografia e exploração sexual.

Física

Uso de força física, deixando ou não marcas evidentes. Manifesta-se por meio de tapas, empurrões, socos, chutes, queimaduras, cortes, tentativas de coerção, de estrangulamento e outras formas de agressão.

Psicológica

Ocorre em relações agressivas de ordem emocional, mediante o uso de palavras ou ações que ameaçam, causam humilhação, culpam, desqualificam ou reforçam sentimentos negativos, discriminam, insultam, causam rejeição ou constrangimento.

Negligência

É a falta ou omissão de cuidados de forma contínua pela pessoa responsável, quanto a higiene, saúde, educação, alimentação e proteção da pessoa dependente.

Exploração financeira

Qualquer ato ou omissão relacionados a bem materiais que afetam a sobrevivência de membros da família, praticados por companheiro, cuidador ou responsável. Exemplo: uso indevido do salário mensal da pessoa.


Denúncias

Disque 100: Todo tido de violência

Disque 180: Violência doméstica

Conselho Tutelar: 3354-2482

Dpcami (Delegacia de Proteção à Crianças, Adolescente, Mulher e Idoso): 3354-0661

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio