Prefeitura de Guabiruba oferece auriculoterapia na rede pública de saúde

Procedimento deve ser agendado na unidade básica de saúde com antecedência

Prefeitura de Guabiruba oferece auriculoterapia na rede pública de saúde

Procedimento deve ser agendado na unidade básica de saúde com antecedência

Angela Fischer Wust vai completar 85 anos em maio e sua meta é chegar aos 101, como sua avó paterna. Para isso, a moradora do bairro Imigrantes, em Guabiruba, conta com alguns aliados, entre eles, um tratamento alternativo chamado auriculoterapia, que começou a ser ofertado na rede pública de saúde guabirubense no segundo semestre de 2017.

Às sextas-feiras à tarde, a aposentada vai à Unidade Básica de Saúde (UBS) do Imigrantes para colocar as sementes de mostarda em pontos da orelha que, para a auriculoterapia, possui terminações nervosas correspondentes a órgãos do corpo e seu estímulo melhora disfunções físicas, emocionais e mentais.

Menos de dez minutos e Angela sai da técnica tradicional da medicina chinesa feliz elencando os benefícios: “Aliviou bastante minhas dores no corpo, a dor nas costas”, pontua a aposentada, que é uma das mais de 200 pessoas que realizaram o procedimento.

Em Guabiruba, seis profissionais realizam o tratamento alternativo, que era ofertado na sede do Núcleo de Apoio Saúde da Família (NASF) e a partir de agora estará em todas as unidades básicas de saúde. Os interessados podem agendar o procedimento no posto que atende seu bairro.

Tratamento mais natural
Mais relaxamento e calma são as vantagens da auriculoterapia pontuadas pelo casal João e Mirna Baron, de 74 e 65 anos, respectivamente. Marido e esposa seguem juntos para colocar a sementinha na orelha e com um mês de sessões já sentem o alívio das dores. “Estou até dormindo melhor”, relata Mirna, que trata reumatismo e artrose com especialista e complementa o tratamento com a auriculoterapia.

O benefício relatado pelos pacientes e o reconhecimento da eficácia terapêutica pelas evidências científicas tem aumentado a procura por tratamentos alternativos, que recebem o apoio da Organização Mundial da Saúde. Uma das profissionais que atendem os pacientes em Guabiruba é Eduarda Schweigert, educadora física do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF).

Ela explica que a auriculoterapia pode ser utilizada como tratamento principal, mas o mais comum é estar associada a tratamentos convencionais. “É uma alternativa mais natural para tratar diversos tipos de problemas de saúde. Algumas pessoas diminuíram a quantidade de medicamentos utilizados e outras até cessaram o uso dos mesmos”, comenta.

O objetivo é que além das seis profissionais do NASF, mais pessoas que trabalham nas unidades sejam capacitadas para aplicar a auriculoterapia, considerada uma Prática Integrativa Complementar (PIC) pelo Ministério da Saúde.

A secretária de Saúde de Guabiruba, Patricia Heiderscheidt, lembra que a Política Nacional das PICS foi criada em 2006, visando o cuidado integral à população. “As PICS trazem a proposta de uma nova cultura em saúde, não tendo como única alternativa o uso de medicamentos e o tratamento da doença, mas a promoção à saúde”.

Dias de atendimento das unidades básicas de saúde:
UBSs Guabiruba Sul e Aymoré: segunda-feira de manhã;
UBSs Lageado Baixo e Centro: quarta-feira de manhã;
UBS São Pedro: quinta-feira de manhã;
UBS Imigrantes: sexta-feira à tarde.

* O procedimento deve ser agendado na unidade básica de saúde a qual o paciente faz parte

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio