Prefeitura esclarece desativação de internet gratuita em espaços públicos de Brusque

Praça da Cidadania e terminal urbano ficarão sem wi-fi após relatos de mau uso

Prefeitura esclarece desativação de internet gratuita em espaços públicos de Brusque

Praça da Cidadania e terminal urbano ficarão sem wi-fi após relatos de mau uso

Após O Município verificar que seis dos oito pontos de acesso à internet gratuita em Brusque não funcionavam, a prefeitura se manifestou por meio de nota do setor de Tecnologia de Informação. A análise foi feita com base em testes de conexão e velocidade realizados na tarde de 22 de fevereiro.

Franklin Nogueira, diretor de Tecnologia de Informação e Alison Tadeu Brentano, coordenador de TI, esclarecem ponto a ponto. Eles explicam que o motivo da internet da praça Sesquicentenário estar desativada são danos causados por trovoada. “O ponto de acesso e o rádio receptor de sinal sem fio queimaram, impossibilitando o acesso dos cidadãos à rede gratuita.”

No entanto, eles enfatizam a instalação do poste inteligente na praça, em 16 de outubro do ano passado, que garante a rede wi-fi. O acesso é feito pela rede “SM!GHT”, nome da empresa alemã responsável pela sua produção.

Os profissionais afirmam que tanto a praça Comendador Albino Souza Cruz, no Souza Cruz, como a praça do Hospital Azambuja, estão com “conectividade instável” e, portanto, é “necessário ir ao local para averiguar se há algum problema com a operadora de telecomunicações que provê o link de interconectividade com a rede mundial de computadores, com a rede elétrica do local e/ou com os ativos da rede presentes no local”.

A prefeitura afirma que a rede sem fio da rodoviária “continua ativa” durante todos os dias, das 5h às 22h. No entanto, em 22 de fevereiro, só foi encontrada a rede protegida por senha.

Uso inadequado suspende internet em dois pontos

Referente à praça da Cidadania, “foi solicitada por meio de memorando da Fundação Cultural a restrição do acesso à rede sem fio”, sendo criada uma rede protegida com senha para os servidores públicos que trabalham no local.

Para o Terminal Urbano Balthazar Bohn também “foi solicitado via memorando da Diretoria de Patrimônio o desligamento da rede sem fio”. A justificativa foi “a migração dos usuários da praça da Cidadania após o desligamento da rede sem fio, causando tumulto e prejudicando o acesso dos usuários de transporte público”.

A diretoria de Tecnologia da Informação afirma que o retorno da wi-fi na praça da Cidadania e no terminal urbano “carecem de análise de métodos de controle e de autorização superior”. A suspeita é de mau uso da internet, inclusive para compra e venda de drogas.

“Ambas as redes sem fio foram desativadas por meio de memorando em virtude do uso indevido da rede nestes locais”, pontua.

Além disso, a diretoria de Tecnologia da Informação diz que “defende o uso de tal tecnologia” e informa que são responsáveis por “reabilitar as redes sem fio nestes locais, mas também ampliar a quantidade de locais atendidos por tal tecnologia”.

Nogueira e Brentano ressaltam a importância de uma rede com mais segurança. “Há de se implementar, também, métodos que visem a segurança pública dos cidadãos que frequentam estes locais.”

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio