Conteúdo exclusivo para assinantes

Prioridades da região estão fora do orçamento do estado em 2018

Obras de pavimentação e aumento de capacidade de rodovias não têm data para sair do papel

Prioridades da região estão fora do orçamento do estado em 2018

Obras de pavimentação e aumento de capacidade de rodovias não têm data para sair do papel

Eleitas como prioridades em audiências do orçamento regionalizado promovidas pela Assembleia Legislativa, obras de infraestrutura para as cidades da região não estão contempladas no orçamento de 2018 do governo do estado, enviado no mês passado ao parlamento catarinense.

Não está prevista no orçamento a execução da terceira pista na rodovia Gentil Battisti Archer, que liga Brusque a São João Batista, assim como a pavimentação da SC-486, no trecho entre Botuverá e Vidal Ramos.

Ambas as obras foram elencadas como prioridade pois não beneficiariam apenas um município, mas a mobilidade de toda a região.

Outros projetos, os quais foram elencados como prioridades secundárias da região, também não estão contemplados no horizonte de investimentos do governo do estado, tais como a pavimentação entre Guabiruba e Blumenau e a revitalização da rodovia Ivo Silveira, além da construção de uma ponte em São João Batista e a pavimentação entre Brusque e Canelinha.

O deputado estadual Serafim Venzon (PSDB), representante de Brusque na Assembleia Legislativa, afirma que, para o próximo ano, a única das prioridades elencadas nas audiências do orçamento regionalizado que vão sair do papel são as reformas das escolas. No caso da região, a João Boos, de Guabiruba, e a Osvaldo Reis, de Brusque.

Ele também informou que irá tentar viabilizar a inclusão, no orçamento, de R$ 2 milhões para ampliação do centro cirúrgico do Hospital Azambuja.

Sobre as obras nas rodovias, no entanto, ele não acredita que sejam iniciadas tão cedo.

Segundo Venzon, “a prioridade das prioridades” do orçamento do governo para a região de Brusque é concluir a duplicação da rodovia Antônio Heil, e só depois se pensará em obras de maior vulto.

O mais provável, acredita o deputado, é que a Gentil Battisti Archer e outras rodovias de tamanho semelhante, cujo custo de ampliação da capacidade é elevado, entrem no programa de concessões de rodovias que deve vir nos próximos anos, para que a iniciativa privada faça as obras, pois o estado não tem dinheiro para executá-las.

“O governo está contando os centavos para pagar a saúde”, diz Venzon.

Em relação à pavimentação de Botuverá até Vidal Ramos também não há previsão de que possa ser executada tão cedo.

O prefeito de Botuverá, José Luiz Colombi, o Nene, afirma que tem sido realizadas conversas com os prefeitos das cidades vizinhas a Vidal Ramos, no sentido de todos se unirem para cobrar de forma mais enérgica do governo do estado uma ação no que diz respeito à obra.

A ideia é viabilizar, junto às Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) de Brusque e Ituporanga, uma audiência com o governador Raimundo Colombo para tratar do tema, visto como prioridade para a região.

Há oito anos, conforme Nene, a obra consta entre as prioridades do orçamento regionalizado, e sequer há dotação orçamentária para iniciá-la. “É um descaso”, avalia Nene, “os prefeitos da parte alta vão se unir e conversar com o governador”.

Outros investimentos na região

No orçamento do governo do estado, há outras obras na região cujo custo já está estimado para 2018. Além da reforma das escolas em Brusque e Guabiruba, a SC-Gás planeja expandir a rede de distribuição de gás natural em Guabiruba, com custo estimado de R$ 2,9 milhões.

O maior volume de recursos, contudo, é para continuar as obras de duplicação da Antônio Heil, no valor estimado de R$ 63 milhões.

Para a ADR de Brusque, o total de recursos estimado para 2018 é de R$ 14 milhões. Desse valor, R$ 5,7 milhões é para o custeio da folha de pagamento, e apenas R$ 150,8 mil são destinados a investimentos.

A educação é o foco da destinação dos recursos da ADR: na área serão aplicados R$ 12,1 milhões do total. Desse valor, R$ 379 mil será para a manutenção e reforma de escolas dos oito municípios da regional.

Reforma no Fórum e novo prédio do MP

O poder Judiciário de Brusque também está contemplado no orçamento do próximo ano do estado. O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) reservou pouco menos de R$ 130 mil para a realização de reformas no Fórum.

O Ministério Público, por sua vez, deverá avançar na sua intenção de adquirir um novo imóvel para instalar as Promotorias de Justiça do município, as quais atualmente são seis em atividade.

Segundo o presidente licenciado da Câmara de Brusque, Jean Pirola (PP), as negociações avançaram e a prefeitura já aceitou o andamento dos projetos.

A opção anterior, de que o MP comprasse o prédio da Câmara e esta fosse para outro, a ser construído no terreno da antiga Secretaria de Obras, foi descartada.

A ideia atual, segundo ele, é que o Ministério Público construa um novo prédio no terreno do Legislativo, que seria utilizado por ambas as instituições, em espaços completamente separados (apenas o plenário seria compartilhado).

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio