Procura pela vacina contra o HPV continua baixa em Brusque

Vigilância Epidemiológica alerta que levar as meninas aos postos é responsabilidade dos pais

Procura pela vacina contra o HPV continua baixa em Brusque

Vigilância Epidemiológica alerta que levar as meninas aos postos é responsabilidade dos pais

No primeiro semestre deste ano, cerca de 380 meninas receberam a vacina contra o HPV em Brusque. Dessas, cerca de 140 procuraram as Unidades Básicas de Saúde em busca da segunda dose. O número, para a Vigilância Epidemiológica, é considerado baixo em comparação à quantidade de moradoras do município que têm entre 9 e 13 anos.

Leia também: Ficará mais fácil para tirar a dupla cidadania em agosto

Atualmente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registra 2,1 mil meninas na cidade. Por isso, afirma a enfermeira da vigilância, Natália Cabral Marchi, a procura pela imunização contra o vírus está abaixo da expectativa do órgão.

“A gente avalia que é uma cobertura muito baixa. Ano passado também foi baixa. Em 2015, tivemos 348 meninas vacinadas no primeiro semestre, 150 delas tomando a primeira dose e 198 a segunda”, afirma a enfermeira.

O ponto positivo da vacinação contra o HPV em Brusque, de acordo com Natália, é o retorno das meninas para receberem a segunda dose. Por outro lado, o problema, avalia ela, é que os pais não estão levando as filhas para tomarem a primeira dose.

Para a enfermeira, o motivo deve estar relacionado a informações erradas sobre possíveis reações alérgicas da vacina e também sobre a iniciação sexual precoce das meninas.

“Eu sempre peço ajuda para quebrar esse estigma de que a vacina faz mal. Não tivemos nenhuma reação grave das meninas que se vacinaram em Brusque. Temos de vaciná-las. Eu vacinei a minha filha”, diz.

Omissão do pais

A enfermeira alerta que é responsabilidade dos pais levarem as meninas aos postos de saúde, inclusive, porque as filhas estão cobertas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

“As meninas de nove anos não vão ter a iniciativa de ir até o posto de saúde. É de responsabilidade dos pais. Se eles não levarem estarão omitindo a vacina das filhas”.

Ainda de acordo com Natália, o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza a vacina gratuitamente para que as meninas protejam-se, também, contra o câncer de colo do útero.

“Prevenindo agora, o SUS evita os gastos que teria no futuro com quimioterapia e com os demais medicamentos para o câncer. Quem tem HPV não terá necessariamente câncer, mas 90% dos cânceres são causados pelo HPV”, argumenta.


O HPV e a imunização

Vírus que atinge a pele e as mucosas, causando verrugas ou outros edemas que podem levar ao câncer, o HPV é transmitido por meio do ato sexual. Para se proteger, as meninas devem se imunizar entre os 9 e os 13 anos. Após a primeira dose, a segunda deve ser tomada em 180 dias. Em Brusque, a vacina contra o HPV está disponível em todos os postos de saúde que contam com salas de vacinas. Para se imunizar, é necessário levar a carteira de vacinação.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio