Professores de Brusque participam de discussão de proposta para base curricular comum estadual

Ao todo 410 profissionais da educação participaram da atividade

Professores de Brusque participam de discussão de proposta para base curricular comum estadual

Ao todo 410 profissionais da educação participaram da atividade

Diretores e professores da educação infantil e rede fundamental se reuniram na quinta-feira, 28, para discutirem medidas que visam contribuir com a criação de uma proposta para base curricular em comum do estado de Santa Catarina.

A plenária da educação infantil foi realizada na Escola Oscar Maluche e reuniu cerca de 230 professores. A da educação fundamental ocorreu na Escola João Hassmann, com aproximadamente 180 profissionais.

Conforme explica a diretora da Educação Infantil, Ivanete Lago Groh, durante a semana nas escolas foram feitas discussões, estudos e trabalhos com professores. Depois houve reunião em polos, conforme a proximidade das escolas. “Aí sim trouxemos as discussões para a plenária e complementamos o documento base que nos foi enviado da proposta pedagógica para Santa Catarina”, observa.

Segundo ela, num primeiro momento foi estudado principalmente a questão das faixas-etárias, que teve alteração na terminologia. “Vamos tratar de bebes que são crianças de 0 a 1 ano e 6 meses, e bem pequenas, que são de 1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses, além de crianças pequenas, de 4 anos a 5 anos e 11 meses. Depois disso, trabalhamos com a questão da troca de experiências, oportunidade em que estudamos as metodologias que Brusque já trabalha, o que é inovador, e como podemos contribuir para auxiliar numa proposta que vai atender todo o estado”, explica.

A diretora de ensino fundamental Maria Ivone Crespi Noldin destaca que, para os estudantes de 1º a 9º ano, a dinâmica foi um pouco diferente. A discussão foi dividida por disciplinas, de 1º ao 5º ano e do 6º ao 9º. “Realizamos a nossa plenária no Johas (João Hassmann) e fizemos um comparativo da proposta base com as diretrizes já adotadas no município. Uma das coisas que percebemos é a necessidade de se voltar a intensificar a gramática com os alunos”, conta ela.

Enquanto na educação infantil o foco foi a discussão das metodologias, principalmente em situações cotidianas, como alimentação, e cuidados com a higiene e o corpo, a pauta da educação fundamental foi voltada mais ao conteúdo. “Analisamos o que a base tem e o que precisamos acrescentar ou não. Fizemos um trabalho muito bem feito. Agora esse documento será devolvido para (Undime) União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, onde ele será juntado com demais documentos de outros municípios de Santa Catarina e entregue ao MEC para fazer esse levantamento”, explica Maria Ivone

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio