Professores que participaram de assembleia em Florianópolis, na quinta-feira, serão penalizados

Informação é do gerente de Educação da SDR de Brusque, Moacir Merízio. Ele disse que falta será injustificável, sem direito à reposição

Professores que participaram de assembleia em Florianópolis, na quinta-feira, serão penalizados

Informação é do gerente de Educação da SDR de Brusque, Moacir Merízio. Ele disse que falta será injustificável, sem direito à reposição

Professores da 16ª Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) que participaram da Assembleia Estadual, realizada no Centrosul, em Florianópolis, na última quinta-feira, 15, serão penalizados com falta injustificável, sem direito à reposição. A informação foi repassada pelo gerente de Educação da SDR de Brusque, Moacir Merízio, na tarde de sexta-feira, 16.

Ele disse que em Brusque, 15 professores da Escola de Educação Básica Osvaldo Reis, e um educador da escola Araújo Brusque, faltaram ao trabalho para participar do encontro.

A assembleia discutiu a proposta apresentada pelo Governo do Estado quanto ao reajuste da lei do Piso Nacional da Educação de 22,22%. Além de Brusque, também houve falta de educação em Botuverá, Nova Trento, Tijucas e São João Batista. 


– O caso mais grave foi em Canelinha, na escola Minervina Laus, onde 99% dos professores faltaram, e por isso o dia letivo foi afetado – destacou Moacir Merízio

Greve prevista para 14 de abril
Na assembleia, os educadores rejeitaram a proposta do governo. De acordo com nota publicada no blog do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte), o estado tem até dia 27 para apresentar uma nova proposta.

Nos dias 28, 29 e 30 vão acontecer as assembleias regionais e no dia 17 de abril, acontece a assembleia estadual. Dependendo do resultado do encontro, uma nova greve poderá ocorrer a partir desta data. Em 2011, foram 62 dias de greve no Estado e diversas manifestações.


No blog, o Sinte reafirmou que “a proposta apresentada pelo governo não respeita a lei do piso e não contempla todos os trabalhadores em educação, não valoriza a qualificação e capacitação dos profissionais, ao contrário, mantém a política de compactação da tabela salarial”. 

Merízio disse que na terça-feira esteve reunido com o secretário do Estado de Educação, Eduardo Deschamps, discutindo a situação dos professores. E afirmou que Deschamps não acredita que haverá uma nova greve em 2012. 

– Ele disse que está se cumprindo o que foi prometido no ano passado e por isso, os professores não têm motivo para paralisação – disse Merízio.

Se o governo irá apresentar uma nova proposta, o gerente disse que não havia recebido nenhuma informação. E no caso de greve, Merízio afirmou que o secretário foi taxativo ao afirmar que também será aplicado a falta injustificável, sem direito a reposição para os educadores grevistas. 

O coordenador regional do Sinte, Agenor Leal afirmou que acredita que o Estado apresentará uma nova proposta antes do dia 17. Além disso, sobre a penalização para os professores que participaram da assembleia, ele disse que o sindicato vai emitir uma declaração que visa evitar os descontos. 

– Não vai ser as ameaças do Merízio que vão calar os professores. É com muita tristeza que talvez tenhamos que fazer uma greve, para se cumprir o que foi acertado no ano passado para terminar aquela greve -, ressaltou Leal.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio