Projeto da Polícia Militar identificará falhas na segurança do comércio de Brusque

Programa fará visitas preventivas e consultorias com foco no layout e estrutura das edificações

Projeto da Polícia Militar identificará falhas na segurança do comércio de Brusque

Programa fará visitas preventivas e consultorias com foco no layout e estrutura das edificações

A Polícia Militar de Brusque está promovendo o programa Arquitetura Contra o Crime, um conjunto de ações para diminuir as ocorrências de crimes contra o patrimônio por meio de intervenções no desenho urbano.

Baseado numa ação já desenvolvida no Paraná e na cidade de São Miguel do Oeste, o programa está sendo adaptado à realidade de Brusque e é um projeto a longo prazo: nesta fase inicial, consiste em visitas preventivas e consultorias com o comércio local.

O foco é identificar os locais que “geram oportunidade para crimes”, por exemplo, pontos com pouca iluminação ou muros muito altos, e fazer sugestões aos comerciantes, que podem optar por realizar as mudanças.

As visitas preventivas da PM, para mapear os principais problemas, já começaram em alguns bairros da cidade, e devem ser iniciadas na área central nos próximos quinze dias. “O maior número de ocorrências, não só de crimes contra o patrimônio público, mas também de acidentes de trânsito e outras, acontecem no Centro”, diz major Heintje Heerdt.

A PM pretende trabalhar com estabelecimentos que já tenham sido alvo de criminosos, para fazer uma análise de vulnerabilidade e segurança no local. Segundo o major, “muitas vezes, a falha pode ser identificada ainda em fase de projeto, o que é muito mais econômico”, pois assim não seriam necessários investimentos em modificações e melhorias na estrutura do local, reduzindo custos futuros.

A PM propôs uma parceria com o curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário de Brusque (Unifebe). O projeto foi apresentado aos estudantes na noite de quinta-feira, 15, pelo major.

Segundo o coordenador de curso, Marcelius Oliveira de Aguiar, o programa leva a sala de aula para a realidade: o Escritório Modelo do curso será direcionado para estes projetos, que serão desenvolvidos pelos alunos da oitava fase, utilizando como base a análise criminal e de segurança realizada pelos policiais.

Dois estabelecimentos de Brusque já foram direcionados pela PM para o Escritório Modelo. Algumas das melhorias possíveis no layout interno citadas pelo major são a instalação de avisos sonoros, para que o comerciante ouça quando alguém entra na loja e a colocação ou modificação do posicionamento de janelas para poder vigiar melhor o movimento da rua.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio