Vereador propõe criar Câmara Mirim em Guabiruba

A ideia é que tendo contato com a política, os jovens guabirubenses se tornem melhores cidadãos

Vereador propõe criar Câmara Mirim em Guabiruba

A ideia é que tendo contato com a política, os jovens guabirubenses se tornem melhores cidadãos

Um projeto em trâmite na Câmara de Vereadores poderá criar uma versão mirim do parlamento em Guabiruba. A ideia é que, frequentando o plenário e tendo contato com a política, os jovens guabirubenses se tornem melhores cidadãos.

A Câmara Jovem é um projeto no qual cada escola municipal elegerá um número de vereadores mirins. Eles frequentarão algumas atividades na Câmara do município. A ideia é que o estudante tenha contato com as leis e a política, a fim de prepará-lo para o futuro como cidadão.

Felipe Eilert dos Santos (PT) é o autor do projeto, apresentado já há dois anos. A matéria ficou “em banho maria” por todo este período. Na última sessão, de terça-feira, 14, o vereador voltou a tocar no assunto.

Santos conheceu o projeto de Câmara Mirim, que já é realizado em Blumenau, em 2013. Ele gostou do que viu, com a participação dos jovens estudantes, e fez contato com o então presidente da Câmara de Blumenau, Vanderlei de Oliveira (PT), para trazer a iniciativa para Guabiruba.

Servidores de Blumenau chegaram a visitar o parlamento guabirubense, porém, a matéria não andou. Segundo Santos, parte dos vereadores da época ficou receoso com o projeto. Chegaram, inclusive, a temer que as eleições nas escolas fomentassem rivalidade entre os estudantes.

Santos colocou o tema em discussão de novo por causa da renovação na Câmara. “Torço para que o presidente pelo menos oportunize a discussão”. As tratativas com outros vereadores já acontecem e há possibilidade de o projeto ser discutido em plenário.

O vereador petista, que já foi presidente da Câmara, diz que a Câmara Jovem seria importante para incutir bons valores nos estudantes. “Acredito que só assim teremos bons políticos e mais controle social no futuro”, afirma.

O projeto não saiu da gaveta por enquanto, ou seja, ainda não tramita oficialmente na Câmara. O presidente da Câmara, Cristiano Kormann (PP), explica que os parlamentares estão discutindo o projeto, que ele considera complexo.

Pessoalmente, Kormann vê com bons olhos a Câmara Jovem. “O projeto bem elaborado, para que no decorrer não venha a dar problema, é bem positivo”.


Como funciona o projeto

Cada escola elegerá um número de vereadores. As eleições são organizadas nos próprios educandários, e os alunos se candidatam e fazem campanha, conforme regras pré-definidas. Eles participarão de atividades na Câmara Municipal.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio