Projeto Golfinho ensina noções de prevenção a afogamentos a crianças

Treinamento realizado pelo Corpo de Bombeiros em Brusque contou com 19 participantes

Projeto Golfinho ensina noções de prevenção a afogamentos a crianças

Treinamento realizado pelo Corpo de Bombeiros em Brusque contou com 19 participantes

Com objetivo de conscientizar as crianças sobre a prevenção de afogamento nas praias, piscinas e rios, o Corpo de Bombeiros realizou, na semana passada, em o projeto Golfinho. O treinamento ocorreu no Clube de Caça e Tiro Araújo Brusque, e contou com a participação de 19 crianças de dez a 12 anos.

O programa, que foi idealizado no litoral, tem por característica trazer ensinamentos de maneira lúdica, identificando riscos e aprendendo como proceder em uma situação de emergência.

O comandante dos bombeiros de Brusque, tenente Hugo Manfrin Dallossi, conta que a instrução foi ministrada pela cabo Krueger, de Florianópolis. “Ela desenvolveu o projeto voltado para as praias e agora reformulou também para as cidades não localizadas no litoral”, diz. Participaram da ação bombeiros militares e comunitários de Brusque, que apoiaram na condução do evento e segurança das crianças.

Manfrin ressalta que o projeto foi adaptado para as cidades do interior por também haver riscos em piscinas, clubes e parques. “Além disso, Brusque está localizada a cerca de 30 km das praias e muitas das crianças se deslocam para o litoral, especialmente no verão, durante as férias escolares”. A nova modalidade foi aplicada, inicialmente, em Chapecó e Blumenau.

Um dos participantes do projeto, Arthur Sophiatti, de 13 anos, diz que a experiência ajudou a esclarecer algumas dúvidas quanto aos riscos nas águas. “Sempre quis saber mais como me proteger e também o que fazer para ajudar as outras pessoas”.

O menino, que é filho do sargento Sophiatti, do Corpo de Bombeiros, tem como projeto de vida seguir a profissão de militar do pai. A mãe Patrícia relata que foi o próprio filho que realizou a inscrição por e-mail. “Quando meu marido falou sobre o projeto, ele se interessou, se inscreveu, e convidou outros amigos para participar”.

Ela lamenta que o projeto tenha sido realizado em apenas um dia e afirma que é necessário expandir para que mais crianças possam ser beneficiadas. “Chega o verão e as ocorrências de afogamento aumentam. Nessa temporada ainda tivemos um caso em Major Gercino envolvendo três irmãos, que comoveu muito. É preciso levar esse conhecimento para as crianças, que são muito curiosas”, diz.

Marco Teodoro Kohler, 54, revela que ficou bastante feliz quando o filho Henrique Tormena Kohler, 12, pediu permissão para participar do projeto. “Ele faz natação há três anos, já tem um pouco de noção. Mas a gente sempre tem preocupação, pois quando vamos à praia ele acha que sabe tudo, mas o mar engana muito. É bastante diferente da piscina”.

O projeto Golfinho foi aplicado nas cidades sem litoral de forma experimental e ainda deverá passar por ajustes. “Acreditamos que haverá um curso para formação de instrutores. A nossa intenção é formar bombeiros militares instrutores em Brusque, para desenvolvermos o projeto mais vezes, principalmente no início do verão, nos meses de novembro e dezembro”, revela.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio