Projeto obriga estabelecimentos a servirem água potável gratuitamente

Proposta do deputado estadual Serafim Venzon divide opiniões em Brusque

Projeto obriga estabelecimentos a servirem água potável gratuitamente

Proposta do deputado estadual Serafim Venzon divide opiniões em Brusque

Um projeto de lei que obriga os bares e restaurantes servirem, de forma gratuita, água potável ao clientes, tem dividido opiniões entre os empresários de Brusque. A proposta que tramita na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) é de autoria do deputado estadual Serafim Venzon (PSDB).

O texto descreve sobre a obrigatoriedade dos restaurantes, bares, cafés, hotéis e casas de shows manterem recipientes com água potável sobre as mesas ou em local de fácil acesso para o consumo dos clientes. Esta lei já foi aprovada e está em vigor no Rio de Janeiro, Distrito Federal e em algumas cidades, como Belo Horizonte.

O coordenador do Núcleo de Gastronomia da Associação Empresarial de Brusque (Garni) e proprietário do Casarão Garibaldi, Jonathan Casagrande, analisa a proposta por duas vertentes. Mesmo achando interessante uma lei para estimular os estabelecimentos, o empresário não concorda com o fato de ser obrigatório. “É como se a boa intenção não viesse do ser humano, mas sim de uma obrigação, de algo forçado. Tratar bem o cliente tem que ser algo natural”, diz.

Casagrande ressalta que os empreendedores utilizam todos os artifícios que têm à disposição para sobreviver no mercado. “Eu penso muito no cliente e vejo que hoje, para o consumidor ter uma prática mais saudável de consumo, o custo pesa muito”.

Para ele, a proposta precisará ter medidas alternativas para que o empreendedor não fique no prejuízo. “Se o cliente consumiria alguma bebida no estabelecimento, deixará de fazer. Com isso, o empreendedor deixa de vender e assim, a longo prazo, sofrerá com efeitos negativos”.

Para o proprietário da cervejaria Zehn Bier, Fernando José de Oliveira, o Brasil tem projetos de lei muito mais interessantes para se discutir. “Não vejo como um assunto que mereça polêmica. É uma proposta desnecessária”, afirma.

O empresário destaca que, atualmente, os estabelecimentos já disponibilizam água potável aos clientes ou a qualquer pessoa que entrar no local e solicitar. “Isso não seria um problema. O que não pode acontecer é das pessoas cobrarem pela qualidade da água que receberem, pois isso não é um problema do estabelecimento e sim da autarquia que faz o tratamento da água”.

Oliveira acrescenta que, o cliente que desejar beber uma água mais bem tratada e filtrada, deverá pagar pelo líquido mineral. “Este não tem como os estabelecimentos disponibilizarem gratuitamente, pois também pagamos para as empresas fornecedoras”, explica.

Hábitos saudáveis
O objetivo do projeto do deputado é garantir hábitos mais saudáveis e proteger a saúde do consumidor. “Os estabelecimentos citados no projeto geralmente vendem bebidas alcoólicas. A disponibilização gratuita da água possibilitará que os clientes consumam água conjuntamente com a bebida alcoólica, sem pagar a mais por isso, contribuindo assim para a diluição da quantidade de álcool no sangue”, explica o deputado Venzon, que também é médico.

Venzon também salienta que alguns estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas pedem um preço abusivo na garrafa de água. “Em alguns locais, os estabelecimentos cobram por uma garrafa de água mineral o equivalente a um litro de bebida alcoólica, sendo que no mercado ‘comum’ os preços são bem diferentes”, destaca. O projeto de Venzon não impede os estabelecimentos de venderem qualquer tipo de bebida, apenas busca garantir que sempre existirá água potável filtrada grátis disponível para quem desejar.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio