Conteúdo exclusivo para assinantes

Projeto para reduzir o número de vereadores na Câmara de Brusque está em elaboração

Intenção é reduzir dos atuais 15 para 11 vereadores no Legislativo brusquense

Projeto para reduzir o número de vereadores na Câmara de Brusque está em elaboração

Intenção é reduzir dos atuais 15 para 11 vereadores no Legislativo brusquense

O vereador Ivan Martins (PSD) está elaborando projeto para reduzir o número de vereadores na Câmara de Brusque dos atuais 15 para 11. De acordo com ele, esta é uma reivindicação antiga da comunidade e de instituições do município, por isso, ele decidiu trazer este assunto à tona.

Martins diz que o texto do projeto é relativamente simples, entretanto, é preciso que tenha assinatura de cinco vereadores para que possa tramitar na Câmara. “O primeiro passo é conversar para conseguir as cinco assinaturas e poder entrar com o projeto e aí começar a conversar a respeito”, diz.

Se o projeto conseguir as cinco assinaturas e for à votação, será preciso o apoio de dois terços dos vereadores (10) para ser aprovado. “Acredito que 11 vereadores podem, sim, cumprir o papel de 15”.

Martins ressalta que cada vereador representa para a Câmara R$ 11 mil por mês, se reduzir quatro vereadores, serão R$ 44 mil a menos por mês e R$ 530 mil por ano.

“Um valor desse poderia ser investido na compra de remédios, ajudar na saúde que está precária. Acho que isso seria uma grande contribuição que o poder legislativo poderia dar para nossa sociedade”.

Como a elaboração do projeto ainda está no início e o vereador está coletando as assinaturas necessárias, ainda não há um prazo para que a matéria inicie sua tramitação na Câmara.

O vereador, entretanto, já entrou em contato com o Observatório Social de Brusque pedindo apoio para a proposta. O diretor-executivo da entidade, Evandro Gevaerd, é favorável à redução, principalmente porque ela proporcionará a redução de custos.

“O poder público precisa pensar em reduzir custos. Se tiver dez vereadores bem orientados e comprometidos, não perderíamos em qualidade”, destaca.

Gevaerd diz que esta é uma proposta bastante viável e que assim como foi feito com o projeto que proíbe o nepotismo cruzado entre a Câmara e a Prefeitura de Brusque, o Observatório deve buscar o apoio de outras entidades e também da população.

“Vamos apelar para a população para se manifestarem a respeito. É sempre essa pressão em cima do povo, com medidas para reduzir custos, e não vejo nenhuma ação para diminuir custos do executivo, do legislativo. Esta é uma boa iniciativa”.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio