Projeto retrata construções históricas de Brusque por meio de vídeos-poemas

Quatro Parênteses pretende criar diálogo entre arquitetura e poesia, ressaltando o patrimônio da cidade

Projeto retrata construções históricas de Brusque por meio de vídeos-poemas

Quatro Parênteses pretende criar diálogo entre arquitetura e poesia, ressaltando o patrimônio da cidade

Com o objetivo de abordar a importância da preservação do patrimônio histórico de Brusque surgiu o projeto Quatro Parênteses. Inspirado no caderno Casarões, produzido pelo O Município em comemoração aos 155 anos de Brusque, o projeto retrata em vídeo cinco construções históricas da cidade de forma poética, valorizando cada detalhe de suas arquiteturas.

Aprovado pelo Fundo Municipal de Apoio à Cultura, o projeto é encabeçado por Alessandro Vieira (direção) em parceria com Carlos Alexandre Martins (edição), Leandro Cogo Bolsan (design), Patrícia de Souza (narração), Guilherme Muller (captação de imagens e texto) e Rafael Zen (texto).

Inicialmente, cinco prédios da cidade foram visitados e transformados em temas de vídeos-poemas: Villa Ida, casarão da Schlösser, Caça e Tiro, antigo prédio da Maternidade de Brusque e a Villa Quisisana.

A cada semana, um vídeo é lançado na página do projeto no Facebook. O primeiro deles foi o da Villa Ida, casarão que foi cenário para o caso que abalou Brusque no fim da década de 1940: a morte do industrial Ivo Renaux.

Vieira destaca que a repercussão do projeto foi muito maior do que o grupo esperava. “Tivemos uma resposta muito positiva, muito mais do que imaginávamos. Por isso, a ideia agora é ampliar”.

De acordo com ele, a intenção é motivar a discussão sobre a importância da preservação de uma forma diferente, não somente pela parte histórica das construções, mas pelo lado sentimental que esses imóveis ainda despertam nos brusquenses.

“Tentamos trazer essa linha mais poética para chamar a atenção mesmo, apresentar as possibilidades que esses imóveis têm para a preservação. Esse patrimônio é o que resta da nossa história, por quanto tempo, não se sabe”.

O processo de criação
Para produzir os vídeos, a equipe visitou os imóveis por algumas vezes. “Escolhemos os casarões e fomos num primeiro momento para conhecer os espaços”, diz.

Depois deste reconhecimento, os integrantes do Coletivo Hiato, Guilherme Muller e Rafael Zen, desenvolveram o texto baseado em suas percepções artísticas. “Baseado em cada texto e no que cada casarão representa na cidade, fizemos a captação das imagens e, por fim, o processo de edição e narração”.

Exibição e DVD
Depois que todos os vídeos forem publicados na página do projeto, o grupo vai organizar uma exibição para o público em data ainda a ser definida. Além disso, a intenção é gravar 100 DVDs que serão entregues às escolas de Brusque, Fundação Cultural, Biblioteca Pública e museus da cidade.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio