Promessas de campanha na Saúde: maior parte foi cumprida em Brusque

Prefeito Jonas Paegle, apesar de médico, fez poucas promessas em campanha, e cumpriu a maioria delas

Promessas de campanha na Saúde: maior parte foi cumprida em Brusque

Prefeito Jonas Paegle, apesar de médico, fez poucas promessas em campanha, e cumpriu a maioria delas

O prefeito Jonas Paegle não fez muitas promessas para a área da saúde enquanto concorria ao cargo, em 2016: foram apenas seis. Curiosamente, em se tratando de um médico com mais de 40 anos de profissão, seu plano de governo para a área foi bem condensado.

Aliado a isso, tampouco fez propostas mirabolantes, como constava em discursos de outros candidatos, de zerar filas por procedimentos.

Na prática, isso rendeu a Paegle um alto percentual de promessas cumpridas na área da saúde durante os primeiros dois anos de mandato: das seis, somente uma não foi cumprida. No entanto, três delas foram cumpridas parcialmente.

Veja também:
Ex-prefeito Ciro Roza é condenado por obra do prolongamento da Beira Rio

Empresários irão custear instalação de equipamento de hemodinâmica no Hospital Azambuja

Criação de abelhas sem ferrão tem se popularizado na região nos últimos anos

Uma das que foram cumpridas com falhas foi a distribuição de remédios básicos e de uso contínuo a toda a comunidade. No início da gestão havia um déficit no estoque de remédios, entrave encontrado pelo secretário da saúde, Humberto Fornari.

A situação deveria se normalizar até abril de 2017, mas no início de maio ainda havia a falta de medicamentos. No fim do mesmo mês, a prefeitura fez uma licitação própria de medicamentos porque os remédios não estavam sendo entregues por meio do Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (Cisamvi), o que atrasou o fornecimento.

Após uma auditoria interna a secretaria da Saúde conseguiu os fornecedores para os medicamentos da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (Remune).

Em junho de 2017 a prefeitura criou o Programa de Assistência Farmacêutica, após mudar o almoxarifado da secretaria para um novo imóvel.

No mês seguinte firmou uma parceria com a Universidade do Vale do Itajaí (Univali), que resultou na análise da política de assistência farmacêutica. A avaliação rendeu uma contratação de 47 estagiários de nível técnico e de graduação que atuarão nas unidades básicas de saúde para auxiliar no controle de gestão de estoque.

Em 2018 a Prefeitura investigou fraudes no reembolso de medicamentos concedidos pelo Instituto Brusquense de Previdência (Ibprev), em 2017 e em 2018, por meio do programa Auxílio Medicamento. Tais fraudes prejudicavam os cofres públicos.

No que toca à promessa dos mutirões de saúde, a prefeitura lançou o programa Fila Zero em março de 2017 com o objetivo de diminuir a fila de exames consultas e cirurgias. Em quatro meses de programa foram realizadas mais de 20 mil consultas com especialistas.

Também lançou a fila única para cirurgias eletivas e realizou o mutirão de cirurgias e consultas oftalmológicas, com mais de 700 procedimentos cirúrgicos, cumprindo a proposta de campanha.  

Quanto à proposta de construir novos postos de saúde em bairros descobertos, a prefeitura cumpriu parcialmente, considerando que apesar de ter inaugurado novas unidades básicas de saúde, algumas ainda estão em construção. No bairro Limeira Alta, a UBS está finalizada porém sem atendimento, o que sobrecarrega as atividades do posto de saúde do Limeira.

Em novembro e dezembro de 2017 a prefeitura inaugurou nova unidade de saúde nos bairros Rio Branco e São Pedro, respectivamente.  Em agosto de 2018, foi inaugurada a nova UBS do Centro. A UBS Santa Luzia será instalada na antiga creche do bairro.

Veja também:
Aumento no número de cervejarias artesanais é comemorado pelo setor

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Jovem é preso por ameaçar a namorada e tentar cortar o cabelo dela com uma faca, em Blumenau

Em 2019 a prefeitura pretende investir uma parte do orçamento da seguinte forma: construção da unidade de saúde do Zantão; construção da unidade de saúde do Emma II; reforma da UBS Ponta Russa; reforma da UBS Santa Luzia; reforma da UBS Jardim Maluche; reforma da UBS Cedrinho.

A construção das UBS do Zantão e do Emma II foi suspensa porque a empresa responsável pelas obras cancelou o contrato em março de 2017.

Uma promessa não cumprida pelo governo foi a de “lutar para trazer o tratamento da quimioterapia para Brusque”. Não há notícia de qualquer ação do governo para tornar Brusque referência no tratamento oncológico na região.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio