Prudêncio denuncia venda de peças sem autorização na prefeitura de Brusque

Secretário de Obras na época, Antônio Maluche Neto registrou Boletim de Ocorrência sobre o fato em dezembro de 2011

Prudêncio denuncia venda de peças sem autorização na prefeitura de Brusque

Secretário de Obras na época, Antônio Maluche Neto registrou Boletim de Ocorrência sobre o fato em dezembro de 2011

Mais uma denúncia foi feita contra a administração municipal na Câmara de Brusque. Na noite desta terça-feira, 8 de maio, o vereador Roberto Pedro Prudêncio Neto (PSD) levou para a tribuna um Boletim de Ocorrência registrado em 20 de dezembro de 2011.

No documento, o ex-secretário de Obras, Antônio Maluche Neto registra a venda de peças de máquinas da Secretaria de Obras para o ferro-velho Torresani, localizado no bairro Rio Branco, na data de 26 de outubro.

Segundo consta no B.O. o diretor de Obras, Sérgio Gamba, determinou que um funcionário da prefeitura, chamado Adenilson Albino da Silva, transportasse com caminhão da prefeitura, duas esteiras de escavadeiras hidráulicas e uma concha de pá carregadeira, num total de 2 mil quilos, para o ferro-velho que comprou as peças. 

Maluche também revelou que Gamba recebeu o pagamento da venda, que foi entregue através de Adenilson, que inclusive é testemunha no relato feito no B.O.

Prudêncio enfatizou que o ato caracteriza o crime de peculato e cobrou respostas da prefeitura sobre o caso. 

– Nós queremos saber que procedimentos foram tomados. Pois, segundo nos consta nada foi feito contra esse funcionário – disparou.

O líder do governo na Câmara, Valmir Coelho Ludvig (PT) argumentou que as peças vendidas eram sucatas e que há todos os documentos que comprovam onde foi utilizado o dinheiro da venda.

Entretanto, Prudêncio argumentou que sendo sucata ou não, a venda de um bem público não pode ocorrer desta maneira e sim, através de leilões.

**Saiba mais sobre a reunião na edição impressa do MDD de quinta-feira, 10 de maio.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio