Para muitas brusquenses, sentir frio é até legal  (tão acostumados com o calor aqui do Vale do Itajaí), mas você teria coragem de passar o inverno num lugar onde as temperaturas chegam a -60ºC? Sim, essa cidade existe, mas claro, fica bem longe do Brasil. Trata-se de Yakutsk, na Rússia, um dos municípios habitados mais frios do planeta!

Yakutsk fica no remoto estado da Lacútia, no norte da Sibéria, a cerca de 8 mil quilômetros da capital, Moscou. Por lá, a temperatura média anual é de -21ºC, mas pode facilmente ultrapassar os -50ºC nos invernos mais rigorosos. O mais curioso é que a cidade não fica numa região de montanhas, onde as temperaturas costumam ser bem mais baixas. A altitude máxima em Yakutsk é de 200 metros.

Apesar do frio extremo, Yakutsk tem cerca de 200 mil habitantes, e é considerada uma das cidades mais importantes da Rússia. Isso porque essa região da Sibéria é responsável por cerca de 20% da produção de diamantes de todo o mundo, e abriga o escritório da mais importante empresa de mineração do planeta. Yakutsk é tão rica em recursos naturais que há quem diga que esse é o único município do mundo que abriga todos os elementos da Tabela Periódica.

Mesmo com toda essa riqueza e importância, chegar em Yakutsk não é tarefa fácil. Não há rodovias nessa região, e pouquíssimas companhias aéreas são autorizadas a desembarcar por lá (em dias de nevoeiro, a visibilidade fica abaixo dos dez metros). Para se ter uma ideia, a distância entre Moscou e Yakutsk é quase a mesma distância de São Paulo a Nova York (Yakutsk ainda fica uns 600 quilômetros mais longe). Por isso, a melhor maneira de chegar à cidade é através de barcos que atravessam o Rio Lena – isso quando ele não está congelado.

No entanto, há quem goste desse frio rigoroso. Os poucos turistas que encaram a aventura aproveitam as temperaturas baixas para praticar atividades típicas desse tipo de paisagem, como esquiar, patinar e andar de trenó. Isso quando as temperaturas “amenas” permitem (na casa dos -20ºC). Abaixo disso, é perigoso ficar mais do que dez minutos perambulando pelas ruas, sob o risco de sofrer com necroses e problemas na pele.

Informações extraídas junto as minhas pesquisas de Internet