Reajuste da Petrobras já chega a postos de combustíveis de Brusque

Em nota oficial, estatal prevê aumento de 5,5% no diesel e de 3,4% na gasolina

Reajuste da Petrobras já chega a postos de combustíveis de Brusque

Em nota oficial, estatal prevê aumento de 5,5% no diesel e de 3,4% na gasolina

Menos de dois dias após a Petrobras anunciar nova revisão nos preços dos combustíveis, alguns postos de Brusque já reajustaram o valor nas bombas. A estatal anunciou, nas refinarias, média de 9,5% de aumento para o diesel e média de 8,1% para gasolina com previsão de aumento nas bombas de 5,5% (R$ 0,17 por litro) e de 3,4% (R$ 0,12 por litro), respectivamente.

Em nota oficial, a Petrobras disse que, de acordo com a política de preços anunciada em outubro, o Grupo Executivo de Mercado e Preços (Gemp) se reuniu na tarde de segunda-feira, 5, e decidiu elevar as taxas.

“As principais variáveis que explicam a decisão do Grupo Executivo são o aumento observado nos preços do petróleo e derivados e desvalorização da taxa de câmbio no período recente. Por outro lado, a nossa participação no mercado interno de diesel registrou pequenos sinais de recuperação”, afirmou a nota.

A empresa ressaltou que a política de preços prevê revisões nos valores a cada 30 dias. Além disso, disse também que os reajustes “podem ou não se refletir no preço final ao consumidor”. Isso, explicou a nota, dependerá dos repasses feitos por “outros integrantes da cadeia de petróleo”, como distribuidoras e os próprios postos de combustíveis.

No Posto Jardim, por exemplo, o reajuste já está em vigor. Segundo o gerente Adriano Rosas, para aumentar os preços o estabelecimento precisou cancelar a promoção que fazia.

“Infelizmente tivemos que parar com a promoção e voltar para a realidade. Hoje [ontem] já entraram os novos preços porque recebi o produto novo”, afirmou o gerente. “Os clientes sumiram do posto, mas infelizmente é o repasse do governo e temos que aumentar”, completou.

O posto Willrich, por outro lado, deve reajustar apenas hoje. De acordo com o gerente Vagner Alberton, o movimento no posto se intensificou devido à informação de que a Petrobras aumentaria os valores.

“Nós temos que repassar, não temos o que fazer, porque nós compramos e trabalhamos com a margem. Os clientes estão abastecendo mais hoje [ontem] porque eles viram a notícia do reajuste”, disse.

Sindicato apoia

Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejistas de Derivados de Petróleo de Blumenau (Sinpeb), Júlio Zimmermann, o novo reajuste pegou as entidades de surpresa. Porém, ele afirmou que apoia a nova política de preços com reajustes conforme a cotação do petróleo mundial.

“O novo presidente da Petrobras [Pedro Parente] está usando as avalições e cotações do petróleo mundial. E conforme esses valores sobem e descem, aqui no Brasil também sobe e desce. Eu acho que é melhor assim, porque o Brasil está importando muito petróleo”, argumentou.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio