Reajustes no preço de combustíveis já vigoram em alguns postos de Brusque

Aumento da gasolina varia de 6 a 11 centavos o litro e do diesel de 10 a 11 centavos

Reajustes no preço de combustíveis já vigoram em alguns postos de Brusque

Aumento da gasolina varia de 6 a 11 centavos o litro e do diesel de 10 a 11 centavos

Na última quinta-feira, 6, a Petrobras divulgou o reajuste no preço de venda de combustíveis nas refinarias. Os valores passaram a vigorar a partir da meia-noite da sexta-feira. A gasolina aumentou 3% e o diesel 5%. Ficará a cargo das empresas a definição do aumento real para o consumidor. Quanto a isso, a expectativa era de que o reajuste chegasse às bombas apenas durante essa semana, entretanto, desde sexta-feira, alguns postos de Brusque já cobravam um novo valor.

Em um deles, o litro da gasolina subiu 11 centavos e o litro do diesel 10 centavos. Porém, o gerente, que preferiu não se identificar, diz que os preços ainda podem sofrer alterações até se estabilizarem por completo. As mudanças vão depender, explica ele, dos outros postos do município. O aumento ou a diminuição de um estabelecimento influencia na decisão do outro.

Ao mesmo tempo em que admite os valores do posto como um dos mais altos do município, o gerente esclarece que para os negócios seria melhor que a tarifa do combustível diminuísse. “O posto acaba ficando como vilão da história, mas se o valor fosse mais baixo eu venderia muito mais e, automaticamente, lucraria muito mais”, garante.

Segundo o gerente do Auto Posto R & R, Ricardo Ganz, o aumento no valor do combustível inibe e afasta os consumidores nas primeiras duas semanas. Depois de perceberem que não há outra alternativa, eles voltam ao normal e arcam com os reajustes.

“Os motoristas são como qualquer outro consumidor quando acontece o reajuste no valor do produto. Primeiro ele age com cautela e tenta poupar ou nem consome aquilo que aumentou, mas com o passar do tempo ele se dá conta de que aquilo é necessário e precisa se adequar. É a realidade que não dá para fugir”, afirma.

No posto de Ganz a gasolina deve aumentar 6,5 centavos e o diesel 10 centavos. A media padrão do valor da gasolina em Brusque, de acordo com dados coletados no dia 3 deste mês pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), é de R$ 2,94 por litro. Ou seja, o preço chegaria a R$ 3,00 com o reajuste. O Valor médio do diesel na cidade antes do reajuste é de R$ 2,50, e deve chegar a R$ 2,60.

A tabela da gasolina é semelhante ao que está em vigor desde sábado no Posto Willrich. Segundo o gerente Renato Rosa, o combustível subiu 5 centavos o litro, dois centavos a menos do que Rosa previa antes da confirmação.
A variação do aumento entre um posto e outro, de acordo com o diretor do Procon de Brusque, Luis Carlos Schlindwein, é livre. Não há tabela de controle e cabe ao consumidor escolher o melhor preço.

“Infelizmente não podemos controlar, mas como há várias opções de postos para os motoristas, eles podem decidir pelo preço mais atrativo. Se os motoristas optarem pelos postos que vendem mais barato, acabará fazendo com que os mais caros diminuam suas tarifas. Claro que o aumento tem de ser dentro da realidade, não pode ser abusivo”, diz.
Taxis

A alta nos combustíveis refletirá, com maior ênfase, no bolso de consumidores que utilizam o veículo como ganha pão. Os taxistas do município, por exemplo, já procuram maneiras de amenizar o reajuste. O presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos de Brusque, Modesto Luiz Bertoldi, enviou um ofício à prefeitura para solicitar a extinção da bandeira dois, que é utilizada durante o mês de dezembro e custa R$ 3,20 por quilometro rodado , e para solicitar reajuste de R$ 3,20 por quilômetro rodado na bandeira um.

“Em novembro sempre temos de mandar um ofício para a prefeitura autorizar, através de um decreto, os valores que serão utilizados de 1º a 31 de dezembro. Ela analisa os valores das outras cidades e as necessidades dos taxistas para estabelecer o preço fixo. Mas dessa vez, em razão do reajuste da gasolina, sugerimos extinguir a bandeira dois e pedimos um novo valor para a bandeira um”, explica.

Se a prefeitura autorizar a medida, a nova tarifa da corrida passará a valer a partir de 1º de dezembro. Do contrário, o sindicato utilizará a bandeira dois durante o mês de dezembro, mas a partir de 1º de janeiro entrará com novo pedido de reajuste. “Nosso último reajuste aconteceu há dois anos. E o aumento do combustível sempre nos atinge direto, por isso precisamos do nosso reajuste também”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio