Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brusque busca terreno para nova sede

Instituição trabalha em espaço pequeno e formalizará pedido de doação de uma área à Prefeitura de Brusque

  • Por Marcelo Reis
  • 6:30
  • Atualizado às 11:29

Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brusque busca terreno para nova sede

Instituição trabalha em espaço pequeno e formalizará pedido de doação de uma área à Prefeitura de Brusque

  • Por Marcelo Reis
  • 6:30
  • Atualizado às 11:29
  • +A-A

A Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brusque solicitará formalmente à prefeitura a doação de um terreno para construção de uma nova sede para a entidade.

Para a presidência da instituição, o atual espaço, localizado no bairro Jardim Maluche, já está pequeno demais para a quantidade de atendimentos.

Sonia Zink, presidente da Rede Feminina, afirma que o espaço onde os trabalhos são desenvolvidos, atualmente, estão com grande ocupação, sobretudo às terças-feiras, quando o médico atende entre 40 e 50 mulheres.

“Tem gente esperando lá fora, gente sentada na escada. Está pequena a nossa sede, a demanda de mulheres é muito grande, e tem aumentado”, afirma.

Segundo Sonia, com uma nova sede será possível “fazer mais coisas para a comunidade”. Ainda não há espaço em vista para a construção da sede, daí o pedido ser feito à prefeitura.

A presidência da Rede Feminina explica que a sala para as pacientes está ficando pequena para a demanda, assim como o brechó, o depósito de doações e as salas de atendimento.

Quando conseguir o terreno, a instituição iniciará uma campanha de doações para erguer a sede. “Não tem dinheiro, a gente vai fazer um mutirão, pedir material de construção”, afirma.

Conforme a presidente, já houve oferta de serviços de engenharia, em caráter gratuito, para elaboração do projeto da nova sede. “Na hora que conseguirmos o terreno, vamos fazer”, diz Sônia. “A gente pensa em fazer mais coisa, mas não tem espaço físico”.

Nesta semana, a vereadora Ana Helena Boos (PP) apresentou requerimento em apoio ao pleito da Rede Feminina, o qual deve ser votado na sessão da próxima semana.

O requerimento considera que a instituição presta serviços de utilidade pública há 28 anos, e que existe, no município, a necessidade contínua de expansão dos programas de atendimento ao público feminino.

Ana recebeu da Rede Feminina manifestação sobre a necessidade de um novo imóvel para ampliação de suas atividades e, diante disso, quer o envio de ofício ao prefeito solicitando que a prefeitura ajude a instituição a conseguir um terreno.

Conforme a Rede Feminina, todos os dias são atendidas 20 mulheres, e mais 40 a 50 nas terças-feiras. Mensalmente, são atendidas cerca de 300 a 400 mulheres.

Além disso, o andar de cima também está sobrecarregado. Semanalmente há reuniões dos grupos de apoio às 60 pacientes em tratamento do câncer, os grupos de apoio, e mais 30 que já estão curadas, mas ainda participam dos grupos.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio