Conteúdo exclusivo para assinantes

Regularização de locais interditados pela Defesa Civil está paralisada

Atualmente, são 835 áreas interditadas, sendo 510 temporárias e 325 definitivas

Regularização de locais interditados pela Defesa Civil está paralisada

Atualmente, são 835 áreas interditadas, sendo 510 temporárias e 325 definitivas

No fim de 2015, a Prefeitura de Brusque anunciou que a Defesa Civil faria um trabalho de regularização dos imóveis interditados no município. O objetivo era regularizar em torno de 40% dos casos em um ano.

Entretanto, o programa de regularização não aconteceu como o esperado. O profissional que era o responsável pelo trabalho saiu do quadro de servidores da Defesa Civil e, ainda em 2015, a regularização foi paralisada.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Edevilson Cugiki, há a vontade do órgão em retomar a regularização, porém, há falta de efetivo, o que acaba impossibilitando o trabalho. “Temos vontade de voltar porque são muitos imóveis interditados, mas hoje esse trabalho de regularização está apenas sob demanda”, diz.

Segundo ele, hoje existem 835 imóveis interditados em Brusque. Desses, 510 são interdições temporárias e 325 definitivas. Em 2015, eram 917 locais interditados.

“Tínhamos um levantamento feito pelos laudos. Em junho deste ano atualizamos o mapa de interdições e começamos a compilar os dados que tinham. Alguns pontos constava quatro vezes como interdição, era o mesmo local, mas com quatro documentos, até por essa revisão conseguimos diminuir o número de locais interditados”.

Cugiki destaca que as áreas foram interditadas por diversos motivos, mas principalmente por problemas causados por inundações e deslizamentos. “São casos bastante variados, por isso é preciso uma dedicação maior porque é necessário observar todas as particularidades para a regularização”.

Para se regularizar, é necessário que o proprietário observe todas as recomendações emitidas no laudo gerado pela Defesa Civil após a interdição. Em alguns locais é necessário realizar obras para que só depois a situação se regularize.

Cugiki ressalta que aqueles que têm interesse em regularizar a situação do imóvel interditado podem procurar a Defesa Civil que eles auxiliarão em todos os processos.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio