Retorno da Câmara de Brusque é marcado por cobranças da oposição

Bancada do PT apresentou vários pedidos de informação

Retorno da Câmara de Brusque é marcado por cobranças da oposição

Bancada do PT apresentou vários pedidos de informação

Na primeira sessão da Câmara de Vereadores do ano, ontem à tarde, a bancada do PT fez quatro pedidos de informação em conjunto, questionando ações da Prefeitura de Brusque. Em um deles, o grupo pede esclarecimentos sobre o fechamento da Casa de Passagem. Eles querem saber para onde foram enviados os moradores de rua, qual o custo disto e se há projetos que envolvam a população em vulnerabilidade na cidade.

Em outro expediente, a bancada petista pede que a prefeitura explique porque a pavimentação da rua Nova Trento não foi finalizada. Os vereadores também solicitam informações dos custos, qual empresa executou os serviços e que a administração envie cópias dos processos licitatórios.

O outro pedido de informação assinado em conjunto pelos parlamentares envolve a realização da eleição direta para diretores de escolas municipais. No documento, a bancada afirma que o modo de escolha dos gestores educacionais é uma conquista do governo Paulo Eccel. Segundo eles, o mandato dos atuais diretores expirou em 2015, por isso solicitam informações sobre a data para a eleição neste ano, assim como quais escolas participaram do procedimento.

Por fim, a oposição questiona o governo interino sobre o funcionamento da Usina de Asfalto de Brusque. De acordo com o expediente, há rumores de que ela está parada, por isso os vereadores pedem informações sobre a produção e o motivo de, supostamente, a estrutura não estar em operação.

Em separado, a vereadora Marli Leandro encaminhou expediente ao prefeito interino pedindo que tome providência sobre a rua Daniel Imhof. A via passou por obras do PAC Macrodrenagem e está esburacada. A parlamentar quer que a administração municipal comunique qual é o órgão responsável pela pavimentação e que também divulgue o cronograma de trabalhos para a comunidade.

E por último ela enviou expediente pedindo esclarecimentos sobre a Cosip, imposto cobrado na conta de luz usado para a manutenção da iluminação pública.


Prefeito interino fez pronunciamento na abertura do ano legislativo / Foto: Marcos Borges
Prefeito interino fez pronunciamento na abertura do ano legislativo / Foto: Marcos Borges

Prudêncio discursa na Câmara

O prefeito interino de Brusque, Roberto Prudêncio Neto (PSD), compareceu à primeira sessão da Câmara. Como é de costume, o chefe do Executivo fez um pronunciamento sobre as ações da prefeitura.

Prudêncio  disse que a prefeitura enviará em breve, provavelmente até o fim do mês, o projeto de lei da reforma administrativa. A matéria trata da fusão de seis pastas da administração municipal em apenas três secretarias.


Rua Gustavo Halfpap preocupa

A rua Gustavo Halfpap, bairro Centro 2, gerou duas indicações dos vereadores Jean Pirola (PP) e André Rezini (PPS). Duas pessoas morreram em um acidente que aconteceu na via no início do ano, por isso os parlamentares enviaram as mensagens à Prefeitura de Brusque.

Pirola solicita na sua indicação que a administração municipal faça estudos de viabilidade para a implantação de redutores de velocidade na rua. “Diante dos vários acidentes ocorridos no local, incluindo duas vítimas fatais no início deste ano e por ser esta via de importante ligação entre bairros e ainda possuir uma largura de pista muito estreita, os órgãos competentes necessitam realizar uma forma de diminuir os riscos que o local possui e diminuir assim a quantidade de acidentes”, justifica.

Rezini, por sua vez, solicita a implantação de uma travessia elevada. Segundo o vereador do PPS, a medida é necessária devido à imprudência dos motoristas que trafegam pela via.


Falta de remédios

A falta de remédios na rede municipal de saúde – noticiada com exclusividade pelo Município Dia a Dia em janeiro – também foi comentada na sessão de ontem. Moacir Giraldi (PTdoB) saiu em defesa da prefeitura e disse que foram comprados mais de 100 medicamentos.

Conforme o jornal informou, faltavam mais de 50 remédios no Centro de Serviços em Saúde. Claudemir Duarte (PT), o Tuta, pediu a palavra e rebateu.”Isso não é importante? Não é importante para quem não está precisando”.

Pipoca ausente

O vereador Edson Müller (PP), o Pipoca, não participou da primeira sessão da Câmara. Segundo Jean Pirola, colega de partido, Pipoca não pôde comparecer porque está doente.

Bom público

A primeira sessão ordinária da Câmara de Brusque registrou um bom público. Cerca de 30 pessoas ocuparam a galeria. Embora não seja uma multidão, o número chama a atenção em relação à costumeira baixa participação popular no parlamento municipal.

Exonerados

Marli Leandro usou parte de seu tempo na tribuna para questionar as exonerações dos comissionados da prefeitura. “Aqui está um BO [boletim de ocorrência] de um um acidente com uma ambulância da prefeitura com um motorista que estava exonerado”, disse. “Qual era a relação dele com a prefeitura naquele momento?”, questionou. “Se acontece um óbito quem vai responder?”.

Animais em espetáculos

A votação do projeto de lei que proíbe a utilização de animais de qualquer espécie, selvagem ou doméstico, nativo ou exótico, em espetáculos realizados em Brusque não aconteceu na sessão de ontem, embora estivesse na pauta. O projeto foi apresentado por Moacir Giraldi (PTdoB) em 2013. Desde então esteve nas comissões e chegou a ser lido no plenário no fim do ano passado. No entanto, André Rezini (PPS) pediu vistas do projeto, ou seja, mais tempo para analisar. Ontem, Valmir Ludvig (PT) apresentou uma emenda ao projeto, que foi enviado à Comissão de Constituição, Legislação e Redação (CCLR) para nova análise.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio