Ritmo de investimentos cai até o fim do ano

Captação de recursos, parcialmente interrompida durante as eleições, segue em ritmo mais lento até o começo de 2015

Ritmo de investimentos cai até o fim do ano

Captação de recursos, parcialmente interrompida durante as eleições, segue em ritmo mais lento até o começo de 2015

A lei eleitoral restringiu a liberação de recursos em todas as esferas de governo de junho a outubro e, por consequência, a quantidade de investimentos. Passado o período de eleições, tanto o governo municipal quanto estadual tentam retomar o ritmo.

No plano municipal, a interferência na lei eleitoral não foi tão percebida. O único processo que ficou em espera foi a captação de recursos para o prolongamento da avenida Beira Rio, no sentido Santa Terezinha. A obra será viabilizada por financiamento da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc).

A documentação da prefeitura está com o Badesc desde agosto de 2013, mas ainda não houve resposta. Um mês atrás, o diretor do Departamento Geral de Infraestrutura, Artur Antunes, esteve no Badesc para retomar as negociações, e ainda aguarda uma resposta.

“Nossa documentação está concluída há bastante tempo, só aguardamos uma luz verde do Badesc. O valor seria de R$ 5 milhões. Pedimos R$ 6 milhões, mas até esse momento, a informação mais sólida é de que serão R$ 5 milhões”, afirma.

Ele explica que os recursos para o PAC Pavimentação não tiveram interferência da lei eleitoral. Ontem, aliás, foi assinada mais uma ordem de serviço, no bairro Dom Joaquim. Uma emenda parlamentar que está sendo viabilizada para continuação das obras do projeto Vila Germânica também será retomado.
Recursos federais

Dos recursos federais anunciados pelo prefeito Paulo Eccel na metade do ano, alguns já estão em licitações. É o caso de cinco novas unidades de saúde e de um ginásio esportivo. Os recursos do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam), repassados pelo governo do estado, ainda não foram liberados. A prefeitura teve de encaminhar complementos de documentação e projeto, solicitados pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE).

“Já é a segunda ou terceira vez que encaminhamos complementação. Esperamos que seja a última”, afirma o diretor do DGI, informando que parte dos recursos, estimados em R$ 3,2 milhões, serão destinados à implantação de calçadas na rua Azambuja, obra que foi cobrada pelo vereador Jean Pirola (PP), em recente sessão da Câmara Municipal.
Estado se concentra na folha

Jones Bosio, secretário de estado de Desenvolvimento Regional, afirma que o fechamento de ano é época de vacas magras para o governo do estado, em termos de recursos. Ele ressalta que o foco, de agora até dezembro, é a folha de pagamento, que incluirá férias e 13º salário.

“Mesmo tendo terminado a eleição, em 60 dias o governo terá que fazer três pagamentos, e já se prepara o de janeiro”, diz, acrescentando que, nessa época, a SDR está trabalhando com acompanhamentos e medidas paliativas, como a operação tapa-buraco em rodovias estaduais.

O foco número um, diz, é acompanhar o andamento da duplicação da rodovia Antônio Heil (SC-486). “Não é só licitar, tem que cobrar o início e a conclusão da obra”. Ele afirma que, nessa semana, fez um pedido ao governo estadual para incluir a SC-408, no trecho que liga Brusque a Gaspar, no plano de revitalizações do governo, que já envolve outras rodovias da região.

“Fizemos um tapa-buraco lá, paliativo, mas que não consegue manter as condições. Agora começam as chuvas, uma pista que já está deformada não consegue mais cumprir sua função”.

Uma negociação que deve ser adiantada é a liberação de R$ 2 milhões, do governo do estado, para pavimentação e revitalização da rua Nova Trento.

Nas próximas semanas, a prefeitura de Brusque deve apresentar o projeto e, quando estiver aprovado, já é possível a liberação da primeira parcela, para início da obra.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio