Roberto Prudêncio Neto comenta escolha por ser vice de Jadir Pedrini (PROS) e situação no PSD

"Estou muito confortável com esta situação", diz Prudêncio

Roberto Prudêncio Neto comenta escolha por ser vice de Jadir Pedrini (PROS) e situação no PSD

"Estou muito confortável com esta situação", diz Prudêncio

Roberto Prudêncio Neto (PSD) é vereador e ocupou o cargo de prefeito interinamente até o início de junho deste ano. Ele surpreendeu o meio político ao aceitar concorrer ao cargo de vice-prefeito ao lado do empresário Jadir Pedrini (PROS).

Ele afirma que, após ter ocupado a cadeira mais importante no município por pouco mais de um ano, aceitou ser vice pensando num projeto de longo prazo. “Realmente, eu dei um passo atrás no meu sonho de ser prefeito, mas pensando no futuro”.

O presidente da Câmara de Brusque ficou no centro de uma polêmica em junho, quando foi realizada a eleição indireta no município. Ele concorreu contra o candidato do PP e perdeu. Depois disso, a chapa dele tentou impugnar a candidatura do oponente, sem sucesso até o momento.

O candidato não acredita que o vaivém na Prefeitura de Brusque, com a posse de vários prefeitos em um curto espaço de tempo, vá prejudicar a sua imagem na campanha. Político, ele aproveitou os minutos finais para apelar ao eleitorado mais jovem e também comentou sobre a situação interna do PSD.

Prudêncio é o quinto entrevistado pelo Município Dia a Dia na série de sabatinas com os candidatos a vice-prefeito. A ordem foi definida em sorteio realizado na sede do jornal, na presença de representantes da coligação.


Papel do vice-prefeito

Prudêncio diz que a ideia da chapa é que, se eleitos, ele e Jadir Pedrini governem lado a lado. “Eu tenho experiência no Legislativo, fui eleito em 2008 e reeleito em 2012. Assumi a prefeitura, e toda essa bagagem eu quero levar para dentro da administração, para o prefeito Jadir. Seria uma troca de experiências, já que ele tem experiência de 26 anos tocando a empresa dele”, afirma o candidato.

Ele diz que, como vice-prefeito, buscará ser a ligação entre a administração municipal e a população.


Cargo no primeiro escalão

Assim como os outros candidatos a vice-prefeito afirmaram até o momento, Prudêncio também não tem intenção de, se eleito, assumir um cargo no primeiro escalão. “Não pretendo assumir, mas, se for para o bem do município e da administração e se o prefeito me chamar [posso assumir]. Não é essa a intenção, não sou candidato a vice para assumir cargo”.

Ainda sobre as suas funções, Prudêncio diz que a experiência de quase oito anos como vereador o capacita para fazer a articulação entre o Legislativo e o Executivo. “Sabemos que a prefeitura não caminha sem o apoio do Poder Legislativo”, diz.

Uma das ideias da coligação é realizar reuniões periódicas com a Câmara de Vereadores, com o objetivo de esclarecer ações e explanar sobre projetos importantes.


Formação da chapa

Como já foi prefeito e é presidente da Câmara de Vereadores, Prudêncio tende a ter uma grande influência sobre a coligação. No entanto, ele diz que Jadir Pedrini terá papel ativo na administração.

“Realmente, eu dei um passo atrás no meu sonho de ser prefeito, mas pensando no futuro, em formar uma aliança mais forte, com mais candidatos a vereador e partidos”, diz o candidato do PSD. “Estou muito confortável com esta situação. Temos a missão de levar o nome do Jadir a ser conhecido. Ele nunca foi político, e eu já estou há bastante tempo”.

Prudêncio diz que Jadir tem experiência como administrador. “Enquanto os outros estão falando bonito, ele está trabalhando e gerando empregos”.


Vaivém na prefeitura

A chapa de Prudêncio ficou no centro de uma polêmica em junho, quando o atual prefeito foi eleito indiretamente pela Câmara. O processo ficou parado por um ano, devido a ações na Justiça, e depois da eleição o PSD tentou impugnar a candidatura do adversário, do PP.

Há uma ação ainda em curso no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), mas sem previsão para julgamento. O caso ganhou repercussão porque em um ano Brusque teve três prefeitos. Prudêncio não acredita que o vaivém na administração municipal vá afetar a sua campanha.

“Não acredito que vá afetar a imagem, porque toda essa mudança não foi proposta pela minha pessoa. Eu afirmo e reafirmo que assumi a prefeitura por determinação judicial”, afirma.


Situação no partido

A convenção do PSD foi marcada por uma divisão interna: de um lado estava a ala de alguns vereadores que queriam se coligar com o PSB de Ciro Roza, do outro estava a ala de Prudêncio, que lutava para ser vice do PROS.

Recentemente, surgiram fotos de um candidato a vereador do PSD ao lado de Ciro, quando ele ainda concorria à prefeitura. Apesar disso, Prudêncio diz que a sigla está unida e as divisões estão no passado.

“Hoje, nós podemos ver que a coligação Jadir e Roberto Prudêncio foi a decisão mais sábia e acertada”, afirma. No início da semana, Ciro, do PSB, renunciou à sua candidatura por problemas com a Justiça.


Eleições complicadas

O candidato do PSD aproveitou o momento para as considerações finais para apelar ao eleitorado mais jovem. Segundo ele, estas eleições estão sendo bastante diferentes, pois o eleitor não está interessado em ouvir propostas.

“Mais da metade da população está indecisa. Muitos, principalmente os jovens, estão totalmente desacreditados com a política brasileira”, afirma. Ele aproveitou para fazer um apelo aos eleitores entre 16 e 23 anos.

“Estamos escutando muito essa juventude, e pedindo que analise, que possa entrar no nosso Instagram, na nossa fanpage e analisar as nossas propostas”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio