Rodada agitada no Amador de Futsal de Brusque

Amont e Paysandu vencem na estreia do grupo D; Imperiales derrota Brusmec e segue viva na competição

Rodada agitada no Amador de Futsal de Brusque

Amont e Paysandu vencem na estreia do grupo D; Imperiales derrota Brusmec e segue viva na competição

A bola rolou na última sexta-feira em mais uma rodada do Campeonato Municipal de Futsal Amador de Brusque. As quatro equipes do grupo D estrearam na competição. Melhor para a Amont, que derrotou a Floripa Têxtil por 4 a 2, e para o Paysandu, que venceu os atletas do Dom Nelson por 3 a 2.

No grupo A, duas equipes que perderam na estreia se enfrentaram. Com pouco tempo para recuperação, quem perdesse já estaria de fora. A Brusmec deu adeus ao Amador de Futsal após levar um gol no fim e perder por 2 a 1 para os atletas do Imperiales. Os vencedores ainda têm chances de classificação na última rodada

 

>>Confira as imagens da rodada.

 

Amont 4 x 2 Floripa Têxtil

 

A partida que deu início à quarta rodada da competição começou tarde, devido ao atraso da dupla de árbitros. Marcada para às 19h15, a partida começou 19h35. O aquecimento, pelo menos, foi mais intenso para ambas as equipes. Em quadra, o que se viu foi uma partida de boa qualidade técnica.

A atual campeã do futsal nos Jogos Comunitários, Amont, mostrou poder de fogo logo aos cinco minutos. Em falta frontal, Diogo soltou a bomba e fez um golaço no canto, indefensável para o goleiro Rafael. O Floripa começou a pressionar após sofrer o gol, enquanto a equipe da Amont parecia estar satisfeita com o placar magro.

A partir dos 10 minutos, no entanto, os atletas da Rua Nova Trento voltaram a buscar o gol. Paulo Roberto foi trombando com os zagueiros do Floripa e chutou no ângulo, mas Rafael foi lá no cantinho buscar, evitando que o placar fosse ampliado. O goleiro faria mais uma bela defesa em seguida, em chute de Jonata.

No segundo tempo, a defesa do Floripa pagou pela desatenção. Logo aos dois minutos, Luiz Felipe, da Amont, puxou a marcação de três atletas adversários e conseguiu passar para Jonata, livre, na pequena área. Oportunista, o camisa 10 meteu o bico na bola e ampliou para a Amont.

Mesmo assim, os jogadores do Floripa não se abateram e buscaram o empate. Apesar de desequilibrado, Paulo Sérgio conseguiu empurrar a bola para as redes aos seis minutos. O gol que deixou tudo igual no placar veio no talento de Ricardo. O camisa 17 recebeu na esquerda e bateu com curva, tirando do goleiro e guardando na rede.

Mas a noite era de Jonata. No bate e rebate da zaga, a bola sobrou com o jogador que bateu rasteiro para fazer mais um gol para a Amont. E deu tempo para mais. Aos 17 minutos, Paulo Roberto driblou dois marcadores e fez um golaço para selar o placar em 4 a 2 a favor da Associação de Moradores da Rua Nova Trento.

Autor de dois gols na partida, Jonata preferiu valorizar os companheiros. “A vitória é da equipe, que está de parabéns. Ganhar a primeira partida dá moral e motiva para as próximas partidas”. Para o diretor esportivo do Floripa Têxtil, Eder Reis, ainda dá para acreditar. “Temos esperança na recuperação. É um projeto novo, o início de um trabalho”, explica.

 

Paysandu 3 x 2 Dom Nelson

 

Os atletas do Dom Nelson começaram melhor a partida. O problema era a pontaria. Os chutes passavam longe da meta protegida por Luiz Fernando. Melhor para o Paysandu, que abriu o placar aos 6 minutos com Anderson. Ele recebeu e bateu rasteiro. Um minuto depois, o Paysandu teve pênalti a seu favor. Anderson bateu e marcou o seu segundo gol, e também da sua equipe.

Os dois gols sofridos em pouco tempo trouxeram nervosismo aos atletas do Dom Nelson. A bola não parava nos pés dos jogadores. A melhora só veio no segundo tempo. Logo no primeiro lance da equipe, Adão recebeu na pequena área, girou e bateu para fazer o gol do Dom Nelson. O Paysandu perdia chances e mais chances de resolver a partida pela ineficiência no ataque.

Em erro da defesa adversária, no entanto, José ampliou para o Paysandu, chutando cruzado e rasteiro. O Dom Nelson tentou reagir, com belo gol de Julio Cesar, mas o placar terminou favorável ao Paysandu. O técnico que saiu vitorioso, Valmir Dutra, o Chodi, ressaltou a importância de vencer na estreia. “Nós quase não montamos time, foi tudo de última hora. Vencer dá ânimo para os atletas”.

 

Imperiales 2 x 1 Brusmec

 

As duas equipes entraram em quadra sabendo que não poderiam perder. Talvez isso tenha resultado no nervosismo em quadra. A qualidade técnica foi deixada de lado, e muitos passes errados se seguiram na Arena Brusque no único confronto do grupo A. Quem abriu o placar foram os Imperiales. Daniel recebeu livre e bateu no canto, aos 8 minutos do primeiro tempo.

A Brusmec chegou ao gol de empate na categoria de Pablo, já na segunda etapa. O camisa 52 recebeu bola em meia altura e bateu de primeira para deixar tudo igual no placar. Quando a partida parecia se encaminhar para o empate, a dois minutos do fim, Edson marcou para o Imperiales e manteve a equipe viva na competição.

Apesar de eliminados do Amador de Futsal, os atletas da Brusmec podem se orgulhar do título de uniforme mais curioso. Listradas na horizontal em amarelo e preto, as camisas da equipe fazem os jogadores parecerem os “Daltons”, dos quadrinhos de Maurice de Bévère. Além disso, as numerações não são nada tradicionais. Em quadra, jogaram o 52, o 85, o 24 e até mesmo o zero. Mas isso tem explicação. “Alguém pegou emprestado as camisas com números tradicionais em outra competição e nunca mais reapareceram. Sobraram essas e a gente usou”, explica Franklin Silva, técnico da equipe. Para ele, apesar das derrotas, as partidas serviram para o aprendizado mútuo. “A gente aprende mais com as derrotas do que com as vitórias”, afirma.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio