Rodovias não sinalizadas ganham novos limites de velocidade

Polícia Militar Rodoviária avalia que nova lei terá pouco impacto na região, já que há placas em quase todas as vias

  • Por Redação
  • 14:00
  • Atualizado às 9:28

Rodovias não sinalizadas ganham novos limites de velocidade

Polícia Militar Rodoviária avalia que nova lei terá pouco impacto na região, já que há placas em quase todas as vias

  • Por Redação
  • 14:00
  • Atualizado às 9:28
  • +A-A

As mudanças que ocorreram no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) no início deste mês foram além do reajuste nos valores das infrações de trânsito. A legislação alterou ainda os limites de velocidades para as vias não sinalizadas. A principal regra é a que limita a 100 km/h o tráfego em rodovias de pista simples, sem sinalização para automóveis, camionetas e motocicletas. Atualmente, o limite neste tipo de trecho, sem sinalização, é igual ao das rodovias com duplicação, que chega a 110 km/h. Para os demais veículos, o limite será de 90 km/h.

Nas rodovias duplicadas, o limite permanece em 110 km/h para automóveis, camionetas e motocicletas, e 90 km/h para os demais. O limite de 80 km/h para veículos pesados deixa de existir. Nas estradas de terra, o limite fica em 60 km/h, da maneira como se encontra atualmente.
O comandante do posto de Gaspar da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), sargento Marcelo Vieira Ramos, informa que a mudança no CTB não afetará os trechos estaduais fiscalizados pelo posto de Gaspar. “Nossas rodovias são todas sinalizadas de acordo com o Deinfra, órgão responsável pela via”.

O sargento explica que a alteração na lei visa orientar os motoristas quando trafegarem em locais em que não há sinalizações. “A regra é que haja sinalização de velocidade para que o condutor respeite aquele limite que a engenharia diz que não há risco de ocorrer acidente, ou em caso de alguma eventualidade, consiga parar a tempo”.

O comandante afirma que nos locais em que não há placas indicando a velocidade permitida, a Polícia Militar Rodoviária não fiscaliza com equipamentos eletrônicos. “Para fim de fiscalização, a placa de sinalização é indispensável. Então não seria admitido fiscalizar com radar em uma via que não informa a velocidade, mesmo que o Código de Trânsito diga qual o limite”, explica.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio