Saiba como funciona o processo de nomeação de ruas no município de Brusque

Projeto precisa passar pelo Instituto Brusquense de Planejamento e Mobilidade (IBPLAM) e pela Câmara de Vereadores

Saiba como funciona o processo de nomeação de ruas no município de Brusque

Projeto precisa passar pelo Instituto Brusquense de Planejamento e Mobilidade (IBPLAM) e pela Câmara de Vereadores

Dona Valéria aguarda a nomeação oficial da rua CD 018 – Crédito: Victor Fernando Pereira
A rua CD 018, no bairro Cedrinho, deve ser conhecida por esse nome apenas durante mais algumas semanas. Depois disso, a via passará a se chamar João Marchi, em homenagem a um antigo morador da região, falecido há quase 20 anos. 

Quem lançou a ideia foi Valéria Marchi, viúva de João e moradora da primeira casa da rua que vai levar o nome de seu marido. No local, ainda não há nenhuma placa de identificação, o que acarreta em uma grande dificuldade para os moradores.

– Geralmente o correio faz todas as entregas de carta na minha casa, e eu subo a rua e levo para os vizinhos, porque não tem nome da rua pro carteiro encontrar – conta dona Valéria.

O primeiro passo para dar o nome a uma rua é procurar o Instituto Brusquense de Planejamento e Mobilidade (IBPLAM), para abertura de um processo de denominação de via, conforme a lei número 2875, de 28 de setembro de 2005. Então são feitas três exigências de infraestrutura para que o procedimento continue: água, luz e drenagem.

– Fazemos uma vistoria na rua e olhamos suas condições, e isso é o que consideramos básico para a infraestrutura de uma via – destaca a arquiteta e responsável pelo setor de parcelamento do solo no IBPLAM, Carolina Meireles Voltolini.

**Saiba mais na edição impressa do Jornal Município Dia a Dia desta sexta-feira, 11 de maio.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio