Saiba quais especialidades futuro hospital da Unimed planeja oferecer em Brusque

Objetivo é atender em torno de 80% da carteira de beneficiários da cooperativa no município

Saiba quais especialidades futuro hospital da Unimed planeja oferecer em Brusque

Objetivo é atender em torno de 80% da carteira de beneficiários da cooperativa no município

A diretoria da Unimed revelou na tarde desta segunda-feira, 22, detalhes do projeto de construção de seu hospital em Brusque. De acordo com o diretor vice-presidente da cooperativa no município, Eduardo dos Santos Ballester, o projeto do hospital em Brusque é bastante antigo e agora está próximo de se concretizar.

A unidade hospitalar de 80 leitos será construída nos fundos da atual sede, na rua Guilherme Wegner, com acesso pela rua Paulo Bauer, no bairro São Luiz.

O planejamento é que o hospital tenha pronto-atendimento adulto e infantil separados, centro de diagnóstico por imagem, centro de endoscopia, centro cirúrgico, UTI e UTI neonatal.

O início das obras não tem data definida, já que ainda precisa ser realizada uma assembleia com os cooperados para a aprovação da execução do projeto. A reunião deve acontecer no terceiro trimestre deste ano e, sendo aprovado, serão iniciadas as obras. A estimativa de conclusão é de dois anos e a expectativa é gerar, inicialmente, em torno de 300 empregos diretos.

Diogo Edele dos Santos, diretor superintendente, e Eduardo dos Santos Ballester, diretor vice-presidente da Unimed Brusque | Foto: Bárbara Sales

De acordo com Ballester, o investimento inicial previsto para a construção do hospital Unimed em Brusque é de R$ 50 milhões. Para isso, a cooperativa está em estudo sobre a melhor forma de financiamento, inclusive, avalia uma modalidade inédita no Sul do país.

“Este estudo de viabilidade que estamos fazendo deve trazer para a gente uma opção de financiamento de um fundo de investimento imobiliário. No país, temos apenas três empreendimentos na área da saúde como fundo imobiliário rodando hoje. Se aprovado, nós seremos o primeiro nesta modalidade no Sul do país”, explica.

Atualmente, a cooperativa também trabalha na fase final dos projetos de engenharia e orçamento.

Projeto antigo
O diretor vice-presidente destaca que o terreno onde está prevista a construção do hospital foi adquirido em 2008, já com esta intenção. Logo em seguida, a cooperativa adquiriu mais um terreno anexo, onde hoje está a sede administrativa.

Em 2012, a assembleia de cooperados autorizou o início da construção do hospital, entretanto, por uma incompatibilidade entre projetos de arquitetura e engenharia, o planejamento não foi continuado.

Um novo projeto de hospital foi feito mas, em 2015, os cooperados entenderam que não era adequado iniciar um projeto de construção devido à crise econômica.

Terreno onde será o hospital foi adquirido em 2008 | Foto: Bárbara Sales

Em 2017, entretanto, com o fechamento do Hospital Aliança (antigo Evangélico), grande parte dos beneficiários de Brusque tiveram que migrar para hospitais de fora da cidade, o que culminou na decisão de contratar a empresa de consultoria Ernst & Young para avaliar a possibilidade de retomar o planejamento do hospital.

“A diretoria já estava cansada de apagar incêndios e então decidimos chamar os cooperados para ver o que fazer. Ficou deliberado então a contratação da Ernst & Young, que veio aqui para dentro da Unimed, conheceu o perfil de uso dos nossos beneficiários, cooperados, prestadores e conheceu o projeto do hospital de 2015”, diz.

A consultoria fez algumas considerações sobre o projeto e o escritório de arquitetura o remodelou, adequando às necessidades da cooperativa. “A partir daquele momento começamos a investir no projeto. Ficou um ano para ser aprovado na Vigilância Sanitária e foi aprovado no início deste ano”, destaca.

Atendimento às necessidades de Brusque
Ballester destaca que o hospital visa atender em torno de 80% da carteira da Unimed Brusque. De acordo com ele, a abertura do Hospital Imigrantes, no ano passado, não foi o suficiente para atender as necessidades dos beneficiários da Unimed.

“A abertura do Imigrantes não teve grande impacto. Os beneficiários tomaram gosto pelo padrão de atendimento alto que se tem em Balneário Camboriú, por exemplo. O nosso hospital terá esse padrão de atendimento e esperamos com isso trazer o beneficiário de volta para Brusque”.

O diretor vice-presidente revelou ainda que o hospital terá uma forte relação materno-infantil, com centro obstétrico e UTI neonatal. “Uma das coisas que a consultoria nos mostrou é que a maior parte das nossas beneficiárias preferem ter filhos fora de Brusque por conta, principalmente, da estrutura da UTI neonatal, que nós teremos”.

Ballester ressalta que a construção do hospital da Unimed deve trazer grande impacto para o atendimento à população. “Não queremos competir com o Azambuja nos serviços que ele presta de alta complexidade, o que vamos brigar é pela qualidade do nosso serviço. É isso que queremos, o padrão de qualidade dos demais hospitais da Unimed no estado”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio