Samae instalará câmeras nos sistemas de tratamento isolados para coibir vândalos

De acordo com a autarquia, atos de vandalismo são frequentes

Samae instalará câmeras nos sistemas de tratamento isolados para coibir vândalos

De acordo com a autarquia, atos de vandalismo são frequentes

Após sofrer diversas vezes com vandalismo nos seus sistemas de tratamento de água isolados, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) deve abrir nas próximas semanas, processo licitatório para compra e instalação de câmeras de monitoramento para esses locais.

De acordo com o diretor-presidente da autarquia, Roberto Bolognini, os seis sistemas isolados, localizados na Limeira, Santa Luzia, Zantão, Ribeirão do Mafra, Volta Grande e Bateas, receberão duas câmeras cada um, que serão monitoradas diretamente da sede do Samae, por meio de um sistema de telemetria via rádio.

Leia também:
Prefeitura de Brusque estuda terceirizar gestão da UPA 24 horas

Assistência Social responde negativamente ao recebimento de venezuelanos

“Vamos monitorar online. Com as câmeras acredito que poderemos ter uma resposta mais rápida e identificar os autores”, diz.

Bolognini diz que é difícil ter servidores para acompanhar a situação dos sistemas isolados 24 horas por dia, por isso, a instalação de câmeras se tornou uma opção viável.

“Fazemos o que é possível para evitar. Todos os sistemas têm cerca, mas os vândalos acabam rompendo. Assim que ficamos sabendo desses atos já consertamos, mas não é possível localizar quem cometeu o crime”.

O diretor-presidente diz que além dos seis sistemas isolados, o reservatório do Samae que tem capacidade para 2 milhões de litros, localizado no bairro Nova Brasília, também é alvo constante de vândalos.

Leia também:
Carteira de motorista digital ainda tem baixa adesão em Brusque

Defesa diz que João Pizzolatti estava sob efeito de medicação durante acidente

“Temos alguns boletins de ocorrência feitos deste local. O vandalismo pode resultar em problemas para o tanque de Nova Brasília, os vândalos jogam pedras e acabam removendo a camada de vidro sobre a chapa de aço, que fica exposta e pode gerar problemas no futuro”, afirma.

Segundo Bolognini, ainda não há o valor que será investido nas câmeras porque o processo licitatório só será aberto dentro dos próximos 20 dias.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio