Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Santa Catarina registrou 110 homicídios de mulheres em 2017

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Santa Catarina registrou 110 homicídios de mulheres em 2017

Raul Sartori

Força feminina
Ontem, Dia Internacional da Mulher, diferentes mídias enfocaram roteiros, mundo afora, para os interessados em conhecer lugares onde viveram mulheres históricas, como Frida Kahlo, Cora Coralina, Evita Peron e Anne Frank, entre outras. Lamentavelmente, não se viu, leu ou ouviu, em SC, nada referente à sua maior heroína, Anita Garibaldi. Merecia.

Estatística
A propósito do Dia Internacional da Mulher, ontem: em SC, em 2017, foram registrados 110 homicídios de mulheres, dos quais 48 feminicídios (crimes de gênero), 21 mil lesões corporais e 2.900 estupros consumados, todos, em sua maioria, ocasionados por violência doméstica.

Conciliador
Secretário geral do Diretório Nacional do PDT, o catarinense Maneca Dias está vivenciando, por estes dias, momentos nervosos. Está na ponte Rio-Brasília tentando pacificar o partido, que está debatendo se aceita ou não a volta a seus quadros do escorregadio ex-governador Anthony Garotinho, a qual se opõe, ferozmente, o ex-ministro do Trabalho, Brizola Neto.

Câncer 1
A deputada federal Carmen Zanotto (PPS-SC) comemora a aprovação, pelo plenário da Câmara, terça-feira, de projeto de sua autoria que obriga os serviços públicos e privados de saúde pública a fazer a notificação e o registro de doenças, agravos e eventos de saúde relacionados ao câncer. A matéria segue para o Senado. O objetivo é identificar gargalos de assistência, diagnóstico, tratamento e prevenção.

Câncer 2
A congressista, que é enfermeira, é autora de outro projeto, já transformado em lei federal, que assegura ao paciente com diagnóstico de câncer que inicie o tratamento gratuito no SUS em até 60 dias, contados da data da comprovação. Entretanto, o SUS tem tido dificuldade de cumprir a lei. Crueldade.

Cerveja
Na busca para ser uma referência no Brasil, as 43 micro cervejarias em funcionamento, outras 17 ciganas (que produzem de maneira terceirizada) e “brewpubs” (bares que fazem a própria bebida) de SC acabam de definir, juntos, um estilo de cerveja artesanal genuinamente barriga verde. No “catharina sour” os parceiros são estimulados a oferecer ao consumidor não apenas suas marcas, mas também uma com características sensoriais especiais, obtidas com trigo e frutas. Além de clara, refrescante, com acidez láctica limpa, tem nível alto de carbonatação. Está aí um ótima iniciativa. Quem não gosta, ao visitar qualquer lugar, em férias ou não, de conhecer a comida e a bebida (cerveja, vinho, cachaça, etc.) típica local? Dificilmente esquecerá e, se gostar, voltará mais vezes e sempre com mais gente junto para compartilhar a “descoberta”.

Doulas
O TJ-SC considerou improcedente ação ajuizada pelo Sindicato dos Médicos de SC contra a lei estadual 16.869/2016, que permite a presença de uma doula na hora do parto, na maternidade o hospital, sem ônus para o SUS. Essas acompanhantes, com certificação ocupacional ou curso especial, são escolhidas livremente pelas gestantes.

Mãe Joana
O deputado estadual Roberto Salum (PRB) está indo à Brasília com o propósito de apresentar a sete deputados federais e dois senadores projeto para que todo policial, assim que se aposentar, leve para casa a sua arma, para que a use em sua proteção. Na Assembleia Legislativa ganhou o apoio imediato dos colegas Antônio Aguiar, Manoel Mota e Maurício Eskudlark. Pergunta a fazer: quem vai pagar a generosidade?

Rola x Rala
O superior Tribunal de Justiça rejeitou pedido de nulidade de registro da marca catarinense de roupas (de Itapema) Rola Moça, que tem registro de 2008 no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, por parte de uma concorrente de Blumenau, que utilizava a marca Rala Moça, semelhante à discutida nos autos. Alegava que os elementos nominativos da marca eram expressões de uso comum e qualquer um poderia usar. Não é bem assim.

Baderna
A velhacaria embutida na irresponsável ampliação, em 10 mil hectares, do Parque Nacional da Serra Geral em SC, patrocinada pela trinca Incra, Ibama e ICMBbio, tem DNA. Os leitores Mauricio e Volmer Boff tiveram 600 hectares de terra desapropriados para criação do parque, em 1994, e até agora os valores relativos à desapropriação não foram pagos. A ação está na segunda instância, sem previsão de final.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio